Mentalidade revolucionária e auto-engano
Eduardo Conti
91

Dizer uma obviedade dessas e bater panela na varanda gourmet dá na mesma: nada. Apontar as pequenas hipocrisias de uns não nega as grandes (e muito mais relevantes) verdades. 1% da população detém 90% da riqueza. Enquanto uns estão hoarding bilhões numa síndrome eterna de tio patinhas, outros estão questionando se é hipocrisia o que algum playboy dos Jardins faz com 500 reais. Foco, gente, foco. O mal do capitalismo não tá nas casas de classe média alta, nem sequer nas dos milionários. O trono do diabo é bem mais pro alto. Realmente não importa sua doação pro criança esperança quando grana equivalente ao PIB de um país pequeno fica em uma conta na suíça pra menos de 10 pessoas desfrutarem. Com a grana de um nike shox verde-marca-texto brega de doer dá pra construir um poço artesiano na áfrica sub-saariana e mudar vidas pra sempre. Ok. Então o que será que dá pra fazer com o que um bilionário sonega, não é mesmo? O capitalismo é imundo, mas o status-quo é benéfico demais pra uns e confortavel o suficiente pra alguns pra ser temperado com justiça social e cobrança de ética. Só não vejo como ficar calling out quem questiona isso on their bullshit invalida esse questionamento. Não tem uma verdade limpa e fácil. Nesse mundo e sistema econômico muitas coisas são realidade simultaneamente, não importa o quão paradoxais. A coisa tá tão feia que mais vale uma visão menos distorcida sobre o core da má distribuição de renda, guerra de classes e a segregação de primeiro e terceiro mundo, porém sem ação verdadeira sobre isso (como se existisse ação contra todos os grupos safra que mandam no mundo por trás do circo encenado da política) do que colocar camisa da CBF, berrar DILMA PUTA e call it a day.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.