Na minha opinião, ser feio é bem mais prazeroso que ser lindo, com o corpo bem feito e musculoso. Poxa, o que mais vemos são pessoas iguais, pessoas com o mesmo estilo de roupa, com os mesmos pensamentos, e a mesma religião e feição. Ninguém é diferente. Tipo: ultimamente, não todas, preferem o garoto do cabelo liso, do que o negro de cabelo enrolado, assim como a Thais araujo sofreu racismo, e o garoto não teve matricula na escola por ter o cabelo afro. Sempre são vitimas de racismo, e chamados de feios as pessoas que não tem renda, ou que é diferente de todas as outras pessoas. As vezes é dinheiro e etc.. Os doentes não tem culpa de ter nascido com algum problema, seja microcefalia, Sindrome de down ou doença atribuída por mente fraca (Os idiotas que somos acostumados a aturar). Mas, muitos são feios por propriedade particular, por querer ser feio. As garotas lindas a distância eram feias ao papo reto, os garotos bonitos eram desinteressantes a ponto de não saber o significado da propria palavra que dizia. Mas um feio com inteligência, é um intelectual desinteressante ao olhar.

Assim como diz Charles Bukowski: " As garotas pareciam legais a certa distância, o sol resplandecendo em seus vestidos, em seus cabelos. Mas vá se aproximar e ouvir seus pensamentos escorrendo boca afora, você vai sentir vontade de cavar um buraco ao sopé de uma colina e se entrincheirar com uma metralhadora." Não há vontade, não há prazer.

Quando eu tinha 13 anos, conversei com uma garota que sofria bullyng na escola, ao horario da recreação, e decidi, escrever das coisas que eu lembro. (Eu não era interessado por isso, e muito menos raciocinei sobre o que ela disse, eu só ouvi.)

Pergunta: O que as pessoas da escola fazem com você? 
R= Olha, aquelas crianças eram maldosas. Na minha opinião isso veio da influência da escola, do racismo, e do autoritarismo. As crianças negras, brigavam com crianças da mesma cor, e sempre o mais forte criava encrenca com o mais fraco, que no caso, fui eu. Um garoto lindo, que sempre gostei, uma vez pediu para ficar comigo, quando fui ficar com ele, ele bateu na minha cara. Dizendo que minha boca fedia e que eu nunca iria conseguir encontrar um homem por ser muito feia. Eu passei despercebido, nunca fui de sentir culpa, ou de ficar triste a ponto de fazer besteiras. A minha mãe um dia foi pra escola e conversou com alguns alunos da sala, e todos se fizeram de vitimas, dizendo que isso não aconteceria mais, que foi sem querer, e sempre terminava com um chocolate quente na cantina, mas nunca com uma suspensão as crianças. Eu ficava irada. Certo dia cortei meus pulsos, nunca tinha feito isso, as pessoas diziam que isso lhe liberava, para mim piorou, a dor cresceu ao contrário do desejo de me sentir livre.

Pergunta: Isso acontece com outras pessoas sem ser você? 
R= Sim, é frustante, converso e tenho amigos que também sofrem com isso. Chamam a Amanda de gorda, o Daniel de favelado, o Diego de nerd, e eu de depressiva. O daniel, um garoto de 10 anos foi vitima de racismo dos professores por não conseguir responder uma questão de matemática. E assim todos o chamaram de "Favelado Analfabeto". O diego tem 12 anos, ele é o típico garoto dos filmes, que usam oculos de lente de contato e camisa social para ir para a escola. No final do horário escolar, garotos das turmas avançadas, tiraram a sua roupa e o deixou pelado na frente do "instituto de educação", diante a variados celulares filmando. Recentemente recebi a noticia que diego largou a escola por influência de sua mãe, por achar que eles nunca o deixariam em paz. Amanda, foi a pior, amanda tentou se enforcar em um domingo a noite. Seus amigos de escola brigavam com ela todos os dias. Principalmente na hora da cantina, em que comer qualquer coisa, era uma passagem para o inferno por parte dos seus pensamentos. Amanda desistiu uns minutos depois de subir na cadeira quando prosseguia para enroscar o pescoço na corda. Sua familia estava chegando da igreja, que ela desistiu de ir, e isso foi um motivo de sermões, e psiquiatria aos sabados.

Pergunta: O que você aprendeu com isso, ou, acha que isso mudou na sua vida?
R= Olha, não mudou nada. Isso vem da consciência, se a pessoa tem culpa por ter sido malvada com alguém, rapidamente ela pede desculpas por não conseguir viver com a culpa. Agora, se ela é "Cara de Pau" e "Vagabundo" o suficiente para não sentir nada, ao ter uma atitude tão imbecil comigo e com meus amigos, o futuro vai fazer a consequência agir. Amanda quase se suicidou por se importar com um pensamento ridiculo das pessoas, e se as pessoas não sentirem um remorso se quer por isso, ele não é humano, ou muito insensivel. Eu sei que quando eu crescer, não vou sentir culpa e nem raiva dessas pessoas, mas vou sentir pena e ainda por cima raiva de uma escola criada para a educação terem pessoas tão insensíveis e despreparadas para a vida. Isso me deixa com raiva! E o pior, é que as pessoas não pregam valor a minha palavra, por ter pouca idade. Se eu for na secretaria de educação, vão dizer para um responsável concluir a denúncia. E minha mãe só fica assistindo novela e nem escuta o que digo. "Filha, sempre que isso acontecer, denuncie eles(a) na coordenação."

A conclusão é simples, as crianças andam refletindo o adulto. O bêbado, a prostituta, e o cafetão. as crianças seguem exemplos! Tenho certeza que quem tem um exemplo bom na familia, cresce com um exemplo para seus filhos. O nosso estado laico só continua ficando mais distante. Por isso, devemos crescer, planejar futuros e morrer para os nossos erros. Continuo o texto com uma frase: "O amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga ideia de paraiso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não doi" - Cazuza.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.