Aplicativo mostra Natal na palma da mão

Foto: Gabriela Cavalcante

Não é raro encontrar turistas em Natal. Quem é de fora encontra no nordeste do Brasil a possibilidade de férias tranquilas e banho de mar, e a cidade do sol tem sido muito mais cotada como destino de viagens esse ano. Segundo o site da Secretaria de Turismo do Rio Grande do Norte, o número de estrangeiros que vieram a Natal, de janeiro a julho de 2016, cresceu cerca de 47%, comparando com o mesmo período de 2015.

Pensando nisso, um grupo de alunas do curso de Administração da UFRN, desenvolveu um aplicativo para smartphone, com três opções de idioma — português, inglês e espanhol –, que dá ao turista informações sobre os principais pontos turísticos da capital potiguar.

Andreza Silva, 18, diz que ela e as colegas, Fernanda Lemos, 24, Elisa Dárdara, 21, Ríssia Carolina, 20, e Sara Rodrigues, 20, tiveram a ideia do aplicativo Natal It durante o projeto Antropomarketing, dentro de uma aula de Marketing II, ministrada pela professora Thelma Pignataro. “A gente teve que criar uma ideia para alguma empresa e a que a maioria gostou, que achou interessante e viável de fazer foi essa”, conta Andreza. Chamaram então o colega Waldecio Silva, também aluno de Administração, para transferir o que estava na mente do grupo para o smartphone.

Agora, que já está disponível para smartphones Android, o Natal It funciona assim: você aproxima a câmera do celular de uma foto do local que pretende visitar e o aplicativo fornece dados sobre ele, como localização, horário de funcionamento, preços e principais atrações. O foco dos idealizadores é a agilidade e o dinamismo, para tornar a experiência de conhecer Natal o mais agradável e prática possível.

Por enquanto, o aplicativo é um protótipo que elas planejam aprimorar, já que essa primeira versão traz apenas alguns pontos da cidade, como o Parque das Dunas, a Pinacoteca e a praia de Ponta Negra. Além de expandir o portfólio, uma das pretensões é acrescentar localização por GPS, para que o turista possa encontrar facilmente bares, restaurantes e casas de festas, de onde estiver. Desse jeito, os visitantes — sejam eles brasileiros ou não — poderão conhecer Natal de forma muito mais cômoda, com a cidade inteira na palma da mão, e irão embora já com saudade e vontade de voltar.

Texto para a Agência Fotec em 20/10/2016

Original: http://www.fotec.ufrn.br/notice/266