Coleção

O primeiro medo que resolvi guardar foi quando conheci a morte. Desde então, estão em todos os lugares da casa, todos eles. Junto aos talheres, na mesa de cabeceira, deitado no tapete, que seja. Eu os coleciono. Eu encontro na rua, e pego. Suspeito, na realidade, que furto medos. Furto sem nenhum lapso de risco moral, eu só vejo e pego. Quase que inocentemente, estou eu, roubando a mim mesma com esta coleção. Quando me deparo com o tamanho da coleção: Mais um medo!