Mais um clique

Por favor

São aplicativos que me contam as notícias do dia, que me permitem localizar meus amigos do outro lado do oceano e do outro lado do mundo, que me ajudam a escolher onde jantar, com quem sair, o que comer e como me vestir. Eles me informam a hora, o local, a razão, o visual.

Nascidos nos anos 1990, somos reféns do digital. Não sabemos o que é ter de ler uma enciclopédia para descobrir qual a capital do Acre (Rio Branco, antes que você jogue no Google). Temos sites de buscas.

O problema é que toda essa facilidade acabou com a nossa paciência. Somos escravos do instantâneo: o mensageiro, o macarrão, o pagamento, a aprovação.

Queremos tudo e queremos agora. Não tem tempo para esperar. Nada de três dias úteis muito menos de incertezas.

Precisamos de tudo. Hoje. Aqui. Agora.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.