Mais um clique

Por favor

São aplicativos que me contam as notícias do dia, que me permitem localizar meus amigos do outro lado do oceano e do outro lado do mundo, que me ajudam a escolher onde jantar, com quem sair, o que comer e como me vestir. Eles me informam a hora, o local, a razão, o visual.

Nascidos nos anos 1990, somos reféns do digital. Não sabemos o que é ter de ler uma enciclopédia para descobrir qual a capital do Acre (Rio Branco, antes que você jogue no Google). Temos sites de buscas.

O problema é que toda essa facilidade acabou com a nossa paciência. Somos escravos do instantâneo: o mensageiro, o macarrão, o pagamento, a aprovação.

Queremos tudo e queremos agora. Não tem tempo para esperar. Nada de três dias úteis muito menos de incertezas.

Precisamos de tudo. Hoje. Aqui. Agora.