Fui vítima de estupro aos 28 anos.
Violeta
972

Eu sinto muito que você tenha passado por isso, mas me alegra saber que as coisas correram bem pra ti, no teu tempo. De verdade.

É meio estranho que você presuma que boto no mesmo saco todos os homens quando me vê condenar um. Fui estuprada aos quinze, e só fui lidar com isso aos vinte, ao lado de um companheiro que está do meu lado há quase quatro anos, hoje que estou pra fazer meus vinte e dois. Não passei um ano sequer sem lidar com os sintomas do trauma. Eu posso dizer com sinceridade que entendo o teu relato, de coração. Confio no meu companheiro, assim como você aprendeu a confiar no seu amigo. Tenho uma enorme gratidão para com ele, pois sei que ele entende na medida do que é possível pra ele o meu trauma e que me respeita, que sabe lidar comigo.

Isso não significa, de maneira alguma, que eu acharia razoável que ele escrevesse em meu lugar um texto sobre isso. Isso é meu, é sobre mim. É sobre como nos foi retirada a agência, e como lutamos para recuperá-la. Isso não nos torna ingratas. Isso não nos torna extremistas. Isso nos torna pessoas que sobreviveram e tentam, da melhor maneira que podem, recuperar ao máximo o que nos foi tirado.

Ainda que discorde de ti, coisa que é provável, respeito tua experiência e peço para que não me julgue. Diferentes ou não, nossas experiências são ambas válidas.

Um abraço,

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.