Essa tal criatividade

Como se fosse fácil falar sobre isso né?! Bom, de qualquer forma, tentarei cuidadosamente colocar em palavras simples aquilo queeu defino como expressão de criatividade e acredito ser criativo.

Eu particularmente prefiro utilizar abordagens idealistas e filosóficas para justificar a criatividade, pois, acredito que essa energia magnífica não possui fórmula, muito menos é inacessível para qualquer indivíduo (falei sobre isso em “um porquê”).

Sabemos que é polêmico tentar decifrar e dar uma resposta sólida sobre esse fenômeno, mas posso garantir que todos nós temos a capacidade — mesmo que mínima — de criar, de fornecer uma visão diferente e/ou melhorada de algo e é assim que o mundo evolui, é assim que crescemos como pessoas, como profissionais e nos destacamos em determinados momentos da vida. Existe ainda hoje uma certa cultura (negativa) em que, em determinadas situações não resistimos em mandar a máxima “eu não sou criativo, não tenho criatividade para tal coisa”. Pultz! Aí pronto… A baixa autoestima nos dá um golpe certeiro durante algum projeto ou tarefa que envolva a bendita criatividade e tudo para.

“ESTAGNAÇÃO SEJA BEM VINDA! PRIMEIRA À DIREITA, POR FAVOR”

O afamado bloqueio criativo é um sentimento, ou estado, que naturalmente faz parte de todo e qualquer processo de criação. Na verdade a presença desse bloqueio é indispensável para que, aliado a outro amiguinho conhecido como ócio criativo, nos ajude a esfriar a cabeça durante algumas pausas forçadas e então, num dado momento, melhorias e correções necessárias surjam e um final feliz ocorra naquilo que estamos empenhados em criar (seja lá o que for). Portanto não tenha medo nem fuja desses carinhas que apesar de não muito agradáveis são necessários ao desenvolvimento de qualquer boa história.

Ao contrário do que muitos pensam, a criatividade pode ser estimulada. Isso mesmo. E indo mais fundo, podemos dizer que existem ferramentas e recursos inerentes à mente humana que nos permitem cumprir etapas e bingo! Chegamos lá.

Buscar referências, ler, pesquisar, testar, pausar, curtir uma música, caminhar, não descartar ideias iniciais, começar com o que se tem, buscar mais referências, testar mais coisas etc., são exemplos de “métodos” que nos garantem melhores resultados. Basicamente científico esse negócio… impressionante.

Voltando para o aspecto inspiracional da coisa, vou ilustrar melhor essa minha definição da criatividade citando alguns casos, inclusive marcos artísticos desse mundão.

CRIATIVIDADE PRA MIM É…

A forma como Mazzaropi revolucionou o cinema brasileiro numa época difícil com seu jeito único de dirigir, produzir e distribuir filmes pelo país resultando num sucesso gigantesco que perdura até os dias atuais.

O tipo de abordagem e marketing “sem querer” dos ambulantes que circulam nos trens com a capacidade ímpar de vender quaisquer tipos de produtos com mesma força em discurso, mesma confiança e habilidade em convencer o público. É incrível o poder de persuasão e a criatividade em gerir e fazer dar certo um negócio tão simplista para os dias atuais.

O improviso clássico do cinema. Como em Star Wars, quando Han Solo recebe um “eu te amo” de sua amada e olhando-a fixamente, num momento decisivo, simplesmente responde: “eu sei!”. Genial isso! Isso faz parte de uma infinidade de detalhes sutis que dão um toque todo especial e único a qualquer obra.

Da Vinci, Santos Dumont, Chaplin, Mario Puzo, Andy Warhol, Giorgetto Giugiaro, Roberto Bolaños, Henry Ford, Mozart, Tarsila do Amaral, Alexandre Wollner, Quentin Tarantino, John Lennon, Jerry Seinfeld, Silvio Santos, Thomas Edison, Walt Disney, Hitchcock, Steve Jobs, Einstein, Michelangelo, Banksy, Bruce Lee, Tesla e incontáveis outros gênios do nosso tempo.

(…)

Eu poderia escrever um livro a partir daqui citando tudo aquilo (coisas e pessoas) que eu considero altamente criativo, desde exemplos mais singelos até grandes invenções que mudaram a história. Enfim, creio que se fosse para escolher uma resposta simples - e ao mesmo tempo carregada de significados -para “o que é criatividade?” eu teria um palpite… 
Ser criativo é: fazer diferente!

Sem mais.