dói, mas não me dê como vencida

foto de Jornalistas Livres

se eu tô cansada?

demais.

não aguento mais ter de ir às ruas

montar cartaz

gritar e implorar por coisa

que deveria simplesmente ser minha.

em uma democracia, claro.

não aguento mais ter de aguentar hipocrisia

maldade falta de empatia

lutar pra caralho e no fim me tirarem mais

um direito

Direito tá faltanto, aliás. e ética.

não aguento mais apanhar da polícia

e do governo e da tevê e do moço que pega

ônibus — extremamente lotado — comigo e

acredita que agora quem salva são os militares

militares? meu corpo ainda sangra.

inda tem a vizinha que não sai da igreja e

defende com toda a sua fé que a resposta

é a fé. qual? a dela, claro.

só a dela.

igreja? minha alma ainda é proibida.

não aguento mais ter medo de dormir

e acordar menos cidadã

ter medo de ir trabalhar e nunca mais voltar

medo de engravidar e em insalubre ficar

medo de pesquisar e não ter mais verba

medo de me terceirizar de minha terra

quilombola perder de minhas secretarias

da mulher não voltarem mais

medo por mim e por todos os outros que

caminham por aí numa luta diária por vida.

vida? me devolve, sem temer.

ontem meu chefe tava rindo que só

já faz tempo que não sei o que é sorrir.

atualização: inda tem a amazônia.