O mês que dura 300 dias

Eu cresci pensando que as piores esperas eram a do ônibus CDU/Boa Viagem/Caxangá, a do banco e a do alergologista (onde eu perdi tardes da minha infância durante um tratamento). No entanto, faltando um mês para completar 30 anos, me deparo com uma espera que me tira o sono. Todos os dias, por várias vezes, eu pergunto à minha esposa se Clarice deu algum sinal de que está para nascer, e tudo o que escuto é que ela só faz chutar o estômago e apertar a bexiga da mãe.

Faz 300 dias que a gestação completou 36 semanas. Dizem que a partir daí, a criança pode nascer a qualquer momento, mas esse momento não chega. Já iniciamos a 39ª semana, no dia 23, completaremos a 40ª, mas essa menina bem que poderia acabar com essa ansiedade do papai aqui. Do jeito que a coisa anda, ela vai aguardar até o fim.

Também vou falar uma coisa. A situação pra ela está muito confortável. Ela está num lugar quentinho, aconchegante, sem hora para dormir, acordar, comer, não fica de braço em braço, não tem o povo todo para apertar as bochechas, não tem que se preocupar se vai ou não ter golpe, não se estressa se o sinal da GVT caiu, se o juiz deixou de marcar um pênalti para o Santa Cruz no clássico ou se o Tricolor vai conseguir ganhar a Copa do Nordeste, etc. Eu no lugar dela também ficaria lá. Só pediria para me manter informado sobre os resultados do Santinha. Isso eu já faço. Quando é gol, ela já pula logo na barriga.

É isso o que me deixa doido. É saber que eu tenho uma relação forte com uma pessoa e não poder abraçá-la, falar ao pé do ouvido, confidenciar segredos, essas coisas que entes íntimos fazem.

"Mas calma. Ela tá chegando". É o que eu escuto todos os dias e repito para mim toda hora. Eu sei que está, mas, como um pai grávido, eu não aguento mais essa espera sem sinais. Na parada de ônibus, a gente vê a marquinha do coletivo vir lá longe; no banco e no médico, a gente vê as pessoas que chegaram primeiro serem atendidas; mas, na gestação, nós pais só vemos a barriga crescer e quando chega o 9º mês a barriga não cresce mais, aí só vivemos de relatos da mamãe, que não são suficientes para aplacar essa ansiedade que come nossos dentes, nossas unhas e leva nosso sono embora.

A menina nem nasceu, mas já imagino que a expressão "vem-te embora, Clarice" será a mais usada dada a demora da mesma para tomar a decisão de ir/vir. Vem, filha! Papai já te ama muito e quer viver esse amor mais de perto. Você não vai se arrepender.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Geraldo Lélis’s story.