Fora da Caixa

Giovana Brito
Dec 18, 2018 · 4 min read

|03.04.18| Era tarde e eu tava mexendo num e-mail antigo.

Muita coisa tinha acontecido no dia anterior, minha vida tinha mudado completamente, mas no dia 3 eu acordei, e como de costume, fui para a praia. Ali eu sabia que seria um dia que ficaria marcado na minha vida, só não sabia o porquê. Ainda.

Vejo que recebi um e-mail falando sobre uma oportunidade de fazer algo pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, entre eles o da Igualdade de Gênero.

Vocês imaginam minha reação??? Cliquei no link e fui parar na plataforma da Eureca, vi que as inscrições para o Do It Challenge já estavam rolando há quase 2 semanas, e resolvi me inscrever.

Eu acredito muito que tudo acontece por um motivo, e naquele momento eu estava dando um passo muito importante na minha vida pessoal e profissional, mesmo sem saber.

O Do It Challenge consistia em alguns desafios em torno de 3 ODS, o escolhido por mim foi de Igualdade de Gênero.

E foi assim que começou meu processo de autoconhecimento enquanto mulher na sociedade machista em que vivo.

O que a Giovana do dia 3 não sabia era como sua vida, perspectiva, conversas e oportunidades iam mudar em tão pouco tempo.

Em alguns dias, eu imergi num mundo de Igualdade de Gênero. Conversei com pessoas incríveis, assisti à palestras, conheci projetos, li livros e assisti TEDs.

Senti um senso de propósito e pertencimento àquela causa, muito mais forte do que eu poderia tentar explicar aqui. Estava motivada a fazer a diferença de algum jeito.

E foi numa dessas, lendo o livro da Chimamanda: “Como Educar Crianças Feministas” no meio da sala de aula, após ter aparecido a oportunidade de organizar um evento para discutir sobre esse assunto, que tudo se encaixou.

A Fora da Caixa surgiu como uma maneira de fazer com que as pessoas tivessem a oportunidade de imergir no “mundo” de conteúdo que eu tinha conhecido naqueles últimos dias. Quanto mais eu estudava, mais eu queria ler e compartilhar.

Mandava conteúdos para amigas que achava que precisavam daquilo. Me inscrevi em alguns clubes e newsletter. Queria me sentir cada vez mais parte daquilo. E cada dia que passava, meu coração batia ainda mais forte. Eu precisava fazer algo.

A Fora da Caixa passou para o papel. Não fiz isso sozinha, devo isso a uma grande amiga e ativista da causa Laís Agra (ou Lalá). Sem ela minha vida jamais seria a mesma. Nos consideramos, a partir desse dia, entre alguns vinhos e muito brainstorming na folha de ofício, sócias da Fora da Caixa.

O documento do desafio foi estruturado e devidamente enviado. Estava energizada. Ansiosa. Tinha me apaixonado pela ideia e independente do resultado estava motivada a tirá-la do papel. Estava orgulhosa e feliz de ver algo, ainda que embrionário, mas com tanto poder de causar uma revolução.

Alguns dias depois, o tão esperado e-mail. Dentre 586 projetos, a Fora da Caixa estava entre os 15 projetos semifinalistas (sendo 5 de cada ODS). Não conseguia conter minha emoção. Liguei para todas as pessoas que me acompanharam nessa trajetória e comemorei!

Precisávamos dar outros passos. Recebemos mentoria do pessoal que a Eureca e Aiesec convidaram. Foram noites e noites de muito aprendizado, questionamento, e revisão.

Toco sempre na tecla que foi meu maior momento de desconstrução e construção. E eu queria passar isso para as pessoas.

Entramos em contato com Ju, que nos ajudou a dar uma cara pro projeto, e essa se tornou nossa logomarca, que conseguiu superar todas as nossas expectativas (obrigada Ju!!! Sigam o @estudiolumus no insta).

Passamos para a FINAL.

A Fora da Caixa estava na final com outros 8 projetos (sendo 3 de cada ODS).

Foram dias de muito estudo, muita alegria, medo, insegurança e gratidão.

Eu nunca imaginaria chegar tão longe, apesar de sempre querer. Acredito que as coisas começaram a fluir quando eu parei de questionar se estava fazendo o suficiente e apenas fiz. Dei o primeiro passo. Não acreditava tanto em mim quanto deveria, mas resolvi tentar, mesmo sem saber onde ia dar.

Cada passo foi a superação de um obstáculo. Cada conquista foi energizante. Chorei, comemorei, compartilhei com pessoas especiais e curti cada momento.

A Giovana do dia 3 de abril estava perdida. Muita coisa tinha mudado na sua vida e ela se questionava sobre seu propósito. O que ela nunca imaginaria era que Deus sabia o que tava fazendo com todas essas mudanças.

A Fora da Caixa significa muito mais do que o projeto em si. Ela me lembra o quanto a gente pode ir longe quando fazemos o que amamos. Que temos que confiar mais na gente e nos permitir viver novos desafios. Um “não” pode te paralisar tanto quanto pode te fazer enxergar através de uma perspectiva diferente e ainda melhor. A Fora da Caixa me ensinou a confiar mais em mim e me mostrou que essa luta não é só minha, que empoderamento feminino e a luta pela igualdade de gênero vai fazer parte da minha vida pra sempre. É meu propósito.

O projeto ficou engavetado alguns meses, e algumas ideias surgiram nessas últimas semanas conversando com Lalá. Precisamos de mais gente conosco nesse desafios de fazer a diferença.

|se essa história fez teu coração bater mais forte tanto quanto o nosso vamos adorar trocar uma ideia, é só mandar um e-mail para somosforadacaixa@gmail.com | no insta @somosforadacaixa |

Em breve espero poder compartilhar mais sobre a Fora da Caixa!

Até mais ❤️

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade