O Gozo

Art by Maurizio Barraco

Os corpos entrelaçados revelam
a atitude que irriga os poros
de um modo evocador de toda
história de suores amados.

Se faz úmida
cada fração
dos movimentos

que deixam quadris
fervilhantes febris
na rota drástica

que o frenesi 
dedica ao transmutar
das sensações

em inaudíveis gemidos 
cheios sempre
de afirmações,

de negações,
de blasfêmias,
de sentenças,

de inconfessáveis pedidos,
de incontestáveis preciosidades,
de incomensuráveis realidades…

E gozar é isso,
um todo de torrentes
abrindo lagoas

de sêmen se misturando
com o que jorra
da fêmea infinitamente

exata,
exaltada,
excitada…

Quem se envergonha
por gozar?
Quem foge da natureza

do gozar?
Quem despreza a arte
de gozar?

Quem nega que 
goza?
Quem afirma que sempre

quer gozar?
Quem foge disso?
Quem fugirá?

Você,
mulher nascida
de uma bela gozada,

homem nascido
de uma bela gozada,
como encara

o gozo que escorre
pela tua carne a estremecer
e suar?

Não escape deste meditar,
não negue este meditar,
nunca!

Deus gozou
e nasceu Lilith!
Lilith gozou

E nasceram os Demônios!
Os Demônios gozaram
e nasceram os seres humanos!

Os seres humanos gozaram
e nasceram
Deuses,

Santos,
Religiões
e até os Anjos!

Celebramos as gozadas
que nos geraram neste
mundo lubrificado!

Quantas chances temos
de gozar pelo mundo
tão descarados

como nossos pais,
nossas mães
e todos os nossos

antepassados?
Então,
gozemos,

não há nada melhor,
nem pior,
mesmo!

Gozar é a parte
da melhor religião
que sempre seguiremos:

a do foder hoje,
a do foder ontem,
a do foder sempre!

Inominável Ser
UM SER
APRECIADOR
DO GOZO