Jesus nasceu

Giovanni Alecrim
Dec 24, 2019 · 8 min read

A promessa, a glória, a concretização e o propósito da vinda de Jesus

A promessa: Isaías 9.1–7

[1] Esse tempo de escuridão e desespero, no entanto, não durará para sempre. A terra de Zebulom e de Naftali será humilhada, mas no futuro a Galileia dos gentios, localizada junto à estrada entre o Jordão e o mar, se encherá de glória.
[2] O povo que anda na escuridão
verá grande luz.
Para os que vivem na terra de trevas profundas,
uma luz brilhará.
[3] Tu multiplicarás a nação de Israel,
e seu povo se alegrará.
Eles se alegrarão diante de ti
como os camponeses se alegram na colheita,
como os guerreiros ao repartir os despojos.
[4] Pois tu quebrarás o jugo de escravidão que os oprimia
e levantarás o fardo que lhes pesava sobre os ombros.
Quebrarás a vara do opressor,
como fizeste ao destruir o exército de Midiã.
[5] As botas dos guerreiros
e os uniformes manchados de sangue das batalhas
serão queimados;
servirão de lenha para o fogo.
[6] Pois um menino nos nasceu,
um filho nos foi dado.
O governo estará sobre seus ombros,
e ele será chamado de
Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso,
Pai Eterno e Príncipe da Paz.
[7] Seu governo e sua paz
jamais terão fim.
Reinará com imparcialidade e justiça no trono de Davi,
para todo o sempre.
O zelo do SENHOR dos Exércitos
fará que isso aconteça!

O texto do profeta Isaías fala sobre a invasão dos Assírios em Israel. Neste tempo, os reinos estavam divididos e havia entre o povo de toda a região da palestina um medo em relação aos invasores. Eles eram destemidos, haviam desenvolvido técnicas próprias de guerra para a época e ainda eram impiedosos com seus inimigos. A destruição estava a caminho e ela se concretizaria em breve. O povo estava temeroso. Sabiam que o invasor viria e era inevitável que Israel iria sofrer. É neste contexto que Isaías escreve as palavras do capítulo 9: a promessa de que a devastação e a morte seriam superadas pela luz, grande luz que brilharia sobre a terra.

Nós, cristãos, nos apropriamos desta promessa e nela vemos Jesus de Nazaré, nascido em Belém, um menino que nos conduz em amor, misericórdia e justiça. Ele é Maravilhoso Conselheiro, pois nos orienta na direção e como devemos viver. Ele é Deus Poderoso, pois exerce seu poder para nos livrar das trevas e nos trazer vida. Ele é Pai Eterno, vindo do Pai, Filho único de nosso Deus que, desde a eternidade, se faz presente conosco. Ele é o Príncipe da Paz, aquele que traz em suas mãos a única paz real e verdadeira. A promessa do reino imparcial e justo se concretiza em Belém, no nascimento do menino que nos conduz.

A glória: Salmo 96

[1] Cantem ao SENHOR um cântico novo!
Toda a terra cante ao SENHOR!
[2] Cantem ao SENHOR e louvem o seu nome;
proclamem todos os dias a sua salvação.
[3] Anunciem a sua glória entre as nações,
contem a todos as suas maravilhas.
[4] Grande é o SENHOR! Digno de muito louvor!
Ele é mais temível que todos os deuses.
[5] Os deuses de outros povos não passam de ídolos,
mas o SENHOR fez os céus!
[6] Glória e majestade o cercam,
força e beleza enchem seu santuário.
[7] Ó nações do mundo, reconheçam o SENHOR;
reconheçam que o SENHOR é forte e glorioso.
[8] Deem ao SENHOR a glória que seu nome merece,
tragam ofertas e entrem em seus pátios.
[9] Adorem o SENHOR em todo o seu santo esplendor;
toda a terra trema diante dele.
[10] Digam entre as nações: “O SENHOR reina!”;
ele firmou o mundo para que não seja abalado
e com imparcialidade julgará todos os povos.
[11] Alegrem-se os céus e exulte a terra!
Deem louvor o mar e tudo que nele há!
[12] Os campos e suas colheitas gritem de alegria!
As árvores do bosque exultem
[13] diante do SENHOR, pois ele vem;
ele vem julgar a terra.
Julgará o mundo com justiça
e as nações, com sua verdade.

O Salmo 96 é muito semelhante ao salmo entoado em 1 Crônicas 16.23–33. Ali, o Salmo é entoado no quando da entrada da Arca da Aliança em Jerusalém. Quer seja inspirado nele, ou o mesmo salmo com pequenas variações, a temática é a mesma: a realeza do Senhor. Não é um salmo de guerra, nem de luta, muito menos de vingança, mas sim de exaltação do reinado de Deus e como ele acontece de forma universal, que é expressa no uso de sete vezes do pronominal indefinido “tudo” e suas variações. Indica que não será só um povo que reconhecerá a realeza de Deus, mas sim toda a criação.

Há, na estrutura do Salmo algo que me chama muito a atenção. Em seus três primeiros versos temos seis imperativos que nos chamam a obedecer ao que Deus quer de nós. Depois, mais à frente, nos versos 7 a 10, temos mais oito imperativos. Em todos eles, a ordem é adorar única e exclusivamente a Deus. Quando olhamos para Maria e José, no curral, cuidando de um menino recém-nascido, olhando para o milagre vivo diante deles e reconhecendo a síntese da glória numa vida tão frágil e pequena quanto a de um recém-nascido. A glória de Deus se manifesta e nossa reação deve ser a de sempre cantar, louvar, proclamar, reconhecer, dar, oferecer, adorar e dizer que ele veio, ele voltará!

A concretização: Lucas 2.1–14 (15–20)

[​1] Naqueles dias, o imperador Augusto decretou um recenseamento em todo o império romano. [2] (Esse foi o primeiro recenseamento realizado quando Quirino era governador da Síria.) [3] Todos voltaram à cidade de origem para se registrar. [4] Por ser descendente do rei Davi, José viajou da cidade de Nazaré da Galileia para Belém, na Judeia, terra natal de Davi, [5] levando consigo Maria, sua noiva, que estava grávida.
[6] E, estando eles ali, chegou a hora de nascer o bebê. [7] Ela deu à luz seu primeiro filho, um menino. Envolveu-o em faixas de pano e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.
[8] Naquela noite, havia alguns pastores nos campos próximos, vigiando rebanhos de ovelhas. [9] De repente, um anjo do Senhor apareceu entre eles, e o brilho da glória do Senhor os cercou. Ficaram aterrorizados, [10] mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo! Trago boas notícias, que darão grande alegria a todo o povo. [11] Hoje em Belém, a cidade de Davi, nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor! [12] Vocês o reconhecerão por este sinal: encontrarão o bebê enrolado em faixas de pano, deitado numa manjedoura”.
[13] De repente, juntou-se ao anjo uma grande multidão do exército celestial, louvando a Deus e dizendo:
[14] “Glória a Deus nos mais altos céus,
e paz na terra àqueles de que Deus se agrada!”.
[15] Quando os anjos voltaram para o céu, os pastores disseram uns aos outros: “Vamos a Belém para ver esse acontecimento que o Senhor nos anunciou”.
[16] Indo depressa ao povoado, encontraram Maria e José, e lá estava o bebê, deitado na manjedoura. [17] Depois de o verem, os pastores contaram a todos o que o anjo tinha dito a respeito da criança, [18] e todos que ouviam a história dos pastores ficavam admirados. [19] Maria, porém, guardava todas essas coisas no coração e refletia sobre elas. [20] Os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo que tinham visto e ouvido. Tudo aconteceu como o anjo lhes havia anunciado.

Num dia cercado de mistério e alegria, Jesus nasceu. Nasceu em lugar humilde, como humilde deve ser o seu povo. Não havia lugar para eles entre os demais nas hospedarias, apenas uma estrebaria, simples e reservada, onde Maria e José puderam descansar da viagem de mais de 100km da Galileia até Belém. Foi nesta estrebaria que os primeiros a saber do nascimento do menino se encontraram com o pequeno Jesus. Pastores não eram pessoas de destaque na sociedade, pelo contrário, eram desprezados e sua profissão era tida como algo desprezível. Os primeiros a saber do nascimento de Jesus foram aqueles a quem Jesus mais falou do Reino de Deus: os excluídos.

Neste natal, convido você a anunciar as boas notícias de grande alegria para todo aquele a quem você conhece. A boa notícia é que, apesar das situações que nós vivemos e da situação em que nos encontramos, existe uma solução para nossas vidas. Podemos passar por dificuldades emocionais, financeiras. Podemos ser desprezados pelos grandes deste mundo, mas o Rei dos Reis nasceu humilde e andou com os humildes. Nasceu desprezado e viveu e vive pelos excluídos. Vamos deixar a luz de Deus entrar em nossos corações, invadir as nossas vidas e nos conduzir em direção daqueles que estão distantes do amor e da paz de Deus. Levemos a luz de Jesus para as trevas, e iluminemos os caminhos dos perdidos.

O propósito: Tito 2.11–14

[11] Pois a graça de Deus foi revelada e a todos traz salvação. [12] Somos instruídos a abandonar o estilo de vida ímpio e os prazeres pecaminosos. Neste mundo perverso, devemos viver com sabedoria, justiça e devoção, [13] enquanto aguardamos esperançosamente o dia em que será revelada a glória de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo. [14] Ele entregou sua vida para nos libertar de todo pecado, para nos purificar e fazer de nós seu povo, inteiramente dedicado às boas obras.

Hoje celebramos a manifestação da graça de Deus, que não é restrita, mas sim a todos e a todos traz salvação. Paulo está dizendo a Tito que é importante ele se manter fiel ao ensino e como proceder na proclamação do evangelho. Devemos ser boas testemunhas da verdade do evangelho, que deve ser a nossa direção e razão de viver. Hoje rememoramos o nascimento de Jesus, o Reino de Deus está, desde então, entre nós, mas não podemos perder a esperança de que virá o dia em que se manifestará a glória de nosso Deus e Salvador, Jesus Cristo.

A resposta a tão grande amor é uma vida de piedade, entregue ao testemunho do evangelho para todos os que conhecemos. Diferentemente dos legalistas e dos religiosos, a Bíblia não registra o medo como meio de buscar retidão, pelo contrário, o medo trava, aprisiona e limita do ser humano. É por isso que a graça de Deus é o caminho para a retidão e a vida conforme a vontade do Pai. A nossa obediência ao menino Jesus e, por consequência, a Deus, se dá pela gratidão que temos pelo verbo feito gente, a Palavra feita carne, que veio morar conosco e nos chama para uma vida de esperança e comunhão. Que neste Natal possamos sempre confessar que o menino nos conduz em nossos dias e que a alegria da infância, da criança, dos quais é o Reino de Deus, possa pautar cada uma de nossas atitudes, hoje até que ele venha.

Giovanni Alecrim

Written by

Produtor de conteúdo do Café com Alecrim: https://cafecomalecrim.com.br . Pastor da Igreja Presbiteriana Independente de Tucuruvi.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade