O que vocês tanto debatem?

Giovanni Alecrim
Nov 19 · 2 min read

Menos treta, mais fogo

Jesus lhes perguntou: “Sobre o que vocês tanto debatem enquanto caminham?” Eles pararam, com o rosto entristecido. (Lucas 24.17)

O texto do Evangelho sobre os discípulos no caminho de Emaús é rico em muitas lições e, dentre elas, uma me chamou muito atenção. O fato é que os discípulos saíram de Jerusalém, após a morte de Jesus, e conversavam sobre o que havia acontecido ao mestre. Num determinado pedaço do caminho, Jesus se junta a eles, mas eles não o reconhecem.

A pergunta que o ressurreto faz aos dois é uma provocação para nós, cristãos do século XXI. O que a gente tanto debate na internet, nas aulas de escola dominical, nos encontros de células, de pequenos grupos, de estudo bíblico? Todo debate que promovemos, nos envolvemos e nos satisfazemos em fazer parte, o que ele gera? Temos investido muito tempo em debater, firmar posição, definir fronteiras da nossa teologia, da nossa prática de fé, e temos calado pouco para ouvir o que Jesus tem a nos dizer.

Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram. Nesse momento, ele desapareceu. Disseram um ao outro: “Não ardia o nosso coração quando ele falava conosco no caminho e nos explicava as Escrituras?”. E, na mesma hora, levantaram-se e voltaram para Jerusalém. (Lucas 24.31–33a)

Num determinado momento do caminho, já anoitecendo e temendo o perigo da estrada, eles resolvem parar numa hospedaria, Jesus ia seguir adiante, mas foi convencido a ficar. Após ouvirem o ensino do Mestres, eles queriam ficar em sua presença e aprender mais dele.

Quando silenciamos os nossos debates e deixamos que Cristo fale, a vida acontece. Mais que vencer debates, somos chamados a calar nossos lábios e dedos e abrirmos nossos ouvidos e olhos para o que Jesus tem a nos dizer. Quando Jesus fala, nosso coração arde, há fogo do Espírito em nós. Quando Jesus está conosco, há ação de graças, alegria e comunhão. Quando Jesus se revela, há proclamação, não tememos os perigos, pois o próprio Cristo está conosco.

Não faça das redes sociais o alimento da sua fé, a fonte da sua comunhão e nem o local da adoração. As redes sociais são bênção como meio de adquirir conhecimento, mas a fé, a comunhão e a adoração foram feitas para serem vividas em comunidade, lado a lado, olho no olho, com o coração em chamas e enfrentando os perigos para proclamar que Jesus vive!

Giovanni Alecrim

Written by

Pastor da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, atualmente na IPI Tucuruvi. Produtor de conteudo do Café com Alecrim: https://cafecomalecrim.com.br

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade