Sobre meu último domingo — 09/10/16

Desci do prédio e fui para o terminal esperar ela chegar. Algumas mensagens ansiosas mais e eis que chega o trólebus. Matamos aquela vontade com um abraço e muitos beijos. O caminho inteiro, aliás foi de abraço e muitos beijos.

Chegando na Paulista, saída do metro bloqueada. Fomos pela esquerda, ao descer na Trianon — MASP. Saio da escada, muita gente e céu claro. Logo à frente quem vem? Uma multidão e o prefeito Fernando Haddad, erguido nos ombros de alguém, recebendo agradecimentos e reconhecimento do povo.

Fomos para a bilheteria do MASP. Entramos. Observamos obra a obra. Quanta beleza! Alguns beijos mais, dessa vez, discretos.

Ao sair, fomos procurar a bendita galeria e nada haha. Mas valeu a caminhada. Muita gente, cachorros, skates, patins, bikes e música na rua. Paramos, resolvemos comer alguma coisa, porque ela nem mesmo havia almoçado. Cidade São Paulo…porque não.

Pedimos uma pizza, que diga-se de passagem, estava muito boa! Mais conversa e saímos à procura de algum sofá confortável. Nada! Tudo ocupado. Voltamos para a Paulista e paramos na calcada mesmo. As pessoas passavam pelos lados. Eu não queria que aquele momento acabasse. Até que ouvir uma sirene. Era o sinal de que a Paulista seria fechada às 18h. O que não nos impediu de continuar curtindo.

- Preciso voltar pra casa.

- Vai não, ainda é cedo.

Enrolamos um pouco e fomos. Deixamos aquela calcada. Na entrada do metrô, encontramos a galeria que tanto procurávamos (ou era outra mesmo). Uma espécie de Sta. Efigênia em plena Paulista. Só dava oriental!

Abraçados fomos até o trecho final. Com a colaboração de uma senhora muito gentil que mudou de lugar para que pudéssemos ficar juntos.

Descemos do trólebus e fomos juntos até o ponto de ônibus. Uma sombra, alguns abraços e mais beijos…muitos, aliás.

Todo esse tempo, sorriso no rosto. Sentimento de felicidade plena e leveza.

- 409, ops, finge que não vi, vem cá

- 39, quero ir não

- Você precisa, sua mãe vai ficar mais brava ainda (eu disse)

E então dei tchau, com pesar. Não queria que o domingo acabasse.

Like what you read? Give Giovanni Tartaro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.