Série 110 anos de imigração

Nesse meio tempo, o Japão passava pela Restauração Meiji, momento de abertura para o exterior após séculos de isolamento. O Japão queria se colocar no mundo, assim eles tentam difundir suas características e seu poder pelo mundo. Isso se deu no final do século XIX e começo do século XX. Na imprensa brasileira começam a pipocar elementos da cultura japonesa, principalmente porque o processo imperialista japonês estava se fortalecendo, e fica claro como o brasileiro via o japonês: exótico. Trazendo uma abordagem mais de gênero, o Japão sempre foi retratado através de imagens de gueixas, mulheres que são associadas como trabalhadoras do sexo, além do forte aspecto de submissão. Se algo de força era trazido era pensado no samurai, com toda sua carga de disciplina e concentração, assim a imagem que se tem é: mulheres submissas e homens “zen”.

Durante a Guerra Russo-Japonesa de 1905 a imprensa exaltava o Japão, por ser um país em ascensão econômica contra um país com uma monarquia decadente. O japonês era visto como um povo nacionalista, honroso e poderoso (mas ainda exóticos), era um povo bom, justo… Até que começou a discutir a imigração dos japoneses para o Brasil. O Japão também passava por uma crise, havia grandes dificuldades de alimentar sua população. Como havia a imagem de um Japão dominador, a ideia de japoneses virem trabalhar para o brasil aterrorizou boa parte da população, poderia ser a chegada do “perigo amarelo”?

Like what you read? Give Girassol a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.