ATOS E FATOS DA CRISE NO BRASIL

ATO I

A Operação Lava Jato investiga o ex. presidente Lula e toda cúpula do PT e PMDB como parte do quadrilhão que assaltou o Brasil entregando aos corruptores das empreiteiras bilhões de reais em obras ou empréstimos via BNDES. Com o Impeachment de Dilma, o PMDB assume o Governo e tem a confiança do Congresso para tentar barrar o avanço do Ministério Público e da Polícia Federal na busca por corruptos. Para se salvar, velhos e novos inimigos se juntam. Nenhuma novidade em ter Lula, Temer, Calheiros e Jucá como aliados, mesmo que na frente das câmeras eles se passem por adversários.

ATO II

O PT observa e atira álcool no incêndio, utiliza sua rede de informantes, movimentos “sociais” e o que restou de políticos para manchar o governo de golpista e incitar a Nova Direita, nascida na Internet, contra tudo e todos, assim igualando a classe política ao lixão.

ATO III

A Lava Jato avança com prisões de empreiteiros, diretores e operadores. Fechando acordos de delação, prometendo redução de penas, eles começam a falar tudo que sabem, embora, nem sempre consigam provar, na ânsia de sair da cadeia o quanto antes, estes ricaços acostumados ao luxo passam a atirar para todos os lados. Começa haver falta de provas, enfraquecimento das investigações, cansaço na população que vai levando um país aos trancos no desemprego.

ATO IV

A Imprensa não sabe se continua no tolo politicamente correto de reproduzir o óbvio ou se faz jus ao jornalismo investigativo, desamarrando os nós que os conectam ao poder, como tentativas de ganhar privilégios em concessões de comunicação. Preferem fazer da ambiguidade o principal instrumento de suas redações, permanecendo em cima do muro, na grande maioria dos veículos.

ATO V

A Nova direita não tem representantes no Parlamento, pois, não existe nenhum partido conservador oficialmente, essa Direita existe apenas no plano virtual e eventualmente nas grandes manifestações. Não sabem se defendem o “liberalismo” econômico ou uma sociedade semicapitalista, a confusão ideologia é brutal, começam a se perder em narrativas políticas, religiosas e científicas. Surge uma patrulha conservadora, dita crista, que policia a Nova Direita, cujos gurus estão bem longe das vida brasiliana ditando ordens.

ATO FINAL

A Nova Direita se enfurece com o plano político total, ela endossou o impeachment e o “novo” governo, mas percebendo que todos são corruptos pede uma nova guilhotina, tal qual fizera Robbespierre e também os Bolcheviques. Na outra Margem do Rio os petistas observam e inflamam a massa direitista, enquanto trocam planos com PMDB para tentar melar a Lava Jato que não consegue prender o chefão do Quadrilhão, pois o esquema é complexo e a essa altura as provas foram destruídas.

Nosso Al Capone se prepara para se lançar como o velho líder sindical perseguido desde a Ditadura. E teve uma infeliz ajuda do destino com a morte da esposa, prontamente utilizado pelo eterno marketing político como instrumento essencial de convencimento do povão, apela-se para o emocional, qualquer publicitário quando não consegue mais ter ideias sabe disso. O Mandraque barbado cresce nas pesquisas porque aquela velha política de mais de um século tem um povo amarrado e dependente, que acredita piamente que o Estado tem o dever de lhe cuidar, guiar e ser eterno tutor.

Do Brasil liberal somente sobrou a Nova Direita, perdida nos twittes dessa vida virtual, sem criar opções vai acabar elegendo mesmo que ainda na pequena margem de erro dos institutos de pesquisa o sapo barbudo que virá com tudo para finalizar o projeto vermelho.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.