Contratei um profissional de UX. E agora?

A profissão de UX está em destaque e cresceu muito nos últimos anos. Conseguiu garantir seu espaço no mercado de trabalho no mundo todo e por isso a procura por profissionais da área também aumentou significativamente dentro das empresas brasileiras.

Este é um ótimo cenário, já que o investimento em profissionais especializados resulta em produtos e serviços mais assertivos e, consequentemente, em um retorno positivo para ambos, na maioria 
das vezes.

Um ponto importante nessa mudança é que o objetivo de bater metas e vender cada vez mais, agora também inclui oferecer um produto que atenda às necessidades do consumidor e que o surpreenda durante o processo de relacionamento com a empresa.

Proporcionar boas experiências não só durante a aquisição, mas durante o uso, auxiliando na resolução de problemas, é uma prática que não só se tornou obrigatória mas que também é um grande diferencial competitivo para empresas como Netflix, Google, Nubank, por exemplo.

“Já não é mais suficiente criar algo que as pessoas gostem. Você deve construir experiências que as pessoas amam.” — The Love Index 2016 — Estudo da Accenture e Fjord sobre as marcas mais amadas.

Grande parte das empresas buscam esse tipo de reconhecimento, porém o problema com essa mudança é quem nem todas estão preparadas ou sabem como selecionar o profissional adequado e montar um time com as habilidades necessárias para atingir esse objetivo.

Em muitos casos, a falta de qualidade dos produtos também é prejudicada por prazos muito curtos e burocracias internas. Diante dessa situação, não há muito o que fazer, independente da experiência do profissional contratado, é algo que está fora do seu “poder” dentro da empresa.

Contratar um profissional de UX é uma ótima iniciativa, mas ele não será responsável por resolver todos os problemas. Estamos falando de um processo de evolução, que inclui mudanças nas políticas internas e alinhamento entre as diferentes áreas da empresa.

O UX designer tem como objetivo principal identificar problemas e propor soluções adequadas. Seu foco é sempre o usuário e é ele quem reforça a voz do consumidor dentro da empresa. Mas garantir uma boa experiência do usuário não é tarefa de um só profissional ou mesmo de uma equipe, é de todas as áreas da empresa envolvidas no projeto.