Um desabafo

Minha mente se transforma em inimiga quando começa a repassar milhares de vezes as mesmas cenas colocando-me em uma jaula onde só posso ver o ruim e o duvidoso. Como uma montanha-russa, ela me leva do ápice ao abismo em um simples piscar de olhos; ao mesmo tempo em que me dá respostas, lança-me mais dúvidas. Estou presa à essa sensação de que nunca poderei domar os pensamentos que ela cria — esses que algemam meus sonhos e me fazem sentir como uma gota d’água no vasto oceano.

Sinto que sempre estou tentando virar a mesa, ou quando me sinto pertencente a algo, minha mente me mostra o contrário. É sempre assim: uma guerra sem fim. O barulho que ecoa na minha cabeça toda vez que há uma margem de felicidade é de unhas em um quadro negro que desespera a minha alma e a única coisa que peço é que chegue ao fim. Ela coloca pedras em meu caminho para que eu tropece, para que eu sinta o impacto das suas verdades em meu rosto. Toda vez que eu levanto, ela me deixa sentir como se eu fosse realmente conseguir seguir — até a próxima queda e mais uma cicatriz para a nossa conta.

Ela é envenenada, pressiona o meu consciente violentamente contra coisas que eu não quero ver, joga meus pensamentos em realidades que não posso lidar. É como morar com um inimigo; sempre que a paz chega, ela está ali, esperando o melhor momento para puxar o meu tapete e mostrar o quão patética eu sou. Ela me tira o sono, me deixa acordada encarando o nada, me leva à lindas fantasias só para me sussurrar ao final: isso nunca vai ser seu.

As palavras que eu sinto crescer dentro da minha mente fazem-me morrer pouco a pouco: você não é nada, você nunca vai ser feliz, você não merece amor, você é uma piada, ninguém te ouve de verdade, você é de dar pena. Quando penso nelas tudo o que eu sinto é um sentimento de veracidade — esse é a única verdade que minha mente aceita de bom grado. Foi nisso que minha mente se transformou: uma violenta inimiga de que nunca poderei me livrar. Enquanto tento incansavelmente segurar todas as pontas soltas da vida, a minha mente chicoteia suas verdades para que eu não dê um passo em direção à minha paz.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Glecem Gaia’s story.