Loucos e suas loucuras.

Assim como todos nós, em algum momento da vida, eu vi um louco hoje.
Como qualquer outro louco, ele falava muito sobre conspirações e ataques malucos que estavam por vir. Falava, também, sobre como as pessoas não acreditavam nele e que isso era um absurdo pois todos nós iriamos morrer por causa disso. Ou seja, um louco em sua melhor forma. Conspirações e ataques malucos? É difícil acreditar.
Confesso que até dei risada na hora pois não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo. Depois, quando já tinha ido embora, comecei a pensar no que o louco deve ter sentido ao me ver rindo. Em ver que todos seus esforços de abrir os meus olhos foram em vão e eu sai de lá sem acreditar em uma palavra. Imagino o desespero que ele tenha sentido. Ele estava tentando salvar o mundo (das loucuras dele) e ninguém nem sequer acreditava. Imagino a loucura em não entender como alguém pode ficar tão de olhos fechados pro que ele tem a dizer como se sua opinião não existisse. Penso no quanto ele deve pensar em desistir de tudo e só aceitar o seu fim certo em tranquilidade.
Porém, minha estação já havia chegado e eu tive que correr para não fechar a porta antes de eu sair.

Chego em casa e começo a me lembrar novamente do louco e vou tentando entender tudo o que tinha me dito. Penso nas conspirações que ele comentou e imediatamente me vejo lendo o jornal. Lembro dos ataques malucos e consigo ler a noticia dizendo ‘Morre mais um gay.’. Cada detalhe que ele comentou pode ser aplicado a hoje em dia. Vemos todos os dias conspirações sendo criadas para poder derrubar o suposto governo errado. Vemos cada vez mais ataques à uma cultura, raça, sexo ou partido político(!).
E é pensando nisso tudo que vejo que os esforços de todos nós para tentar fazer com que as pessoas supostamente normais nos ouvirem é inválida. Nada muda e parece que nada mudará. Nunca!
Cada vez mais dessas pessoas normais aparecem e parece que ninguém se importa nem um pouco com a realidade. Tudo é em vão.

É com esse pensamento que percebo estar me sentindo como o louco que encontrei. Será que eu sou considerado louco e nada disso realmente existe? Todo esse mal é só coisa da minha cabeça e ninguém para pra escutar pois não tem sentido o que falo.
Me sinto cada vez mais como um louco vivendo em um mundo supostamente ótimo. Como saber?
É, realmente entendo como o louco se sente em uma simples aceitação do futuro iminente. Será que isso demora pra acabar?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.