Dia 01: Eu não sei escrever
Danilo Santana Silva
231

Muito interessante seu texto e sua forma de vida, por assim dizer. Mas tenho porque tenho que discordar disso:

“ Esse segundo tipo é quase um câncer”.

Esse tempo de estar deitado na cama olhando pro teto é um dos momentos que mais gosto na minha vida, que mais me descreve. “Davi, aquele que briza” (forma vulgar de falar: refletir). É gostoso, pra mim, deitar e começar a pensar na minha vida, o que farei, o que estou fazendo. Relaxar. Então tenho que discordar quando você diz que é quase um câncer — mas calma, eu entendo o porquê.
Obviamente não passo horas “brizando” — mentira, porque alguns dias, poucos, eu faço sim.

Mas fora isso, gostei muito do que você disse. E confesso que tenho um certo receio desse tipo de vida, na correria constante, sem tempo pra respirar — mas me identifico com querer cronometrar o tempo dormindo. Cronometro quanto tempo eu tomo banho também, isso está me ajudando a demorar menos (ser mais eficiente no banho). 
E tem MUITO o desejo de aprender a escrever, de fato. Corretamente e conseguindo exprimir o que eu estou pensando, da melhor forma possível.

Mas penso que só escrevendo não há como se aperfeiçoar, porque é impossível praticar sem um norte. Digo: só escrever, sem que ninguém corrija, sem que ninguém opine, nunca nos fará evoluir.

O que acha sobre isso?

Aliás, queria que tivesse uma listinha show em ordem, desse teu diário. Estou tendo que dar o meu jeito para acompanhar na ordem.
(Um defeito meu: quando conheço algo que gosto, tenho uma obsessão por acompanhar desde o começo. Conheci Nerdcast: Tenho que ouvir todos. Conheci o Não Ouvo: Tenho que ouvir todos. Conheci o seu diário: tenho que ler tudo. E por aí vai. kk)

Ganhou um leitor! Amanhã volto para ler o dia 2 e 3 (se eu não ler 2 por dia, nunca conseguirei acompanhar o seu ritmo)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.