Lançamento do Manual do Candidato às eleições — 2º Edição revista e ampliada

O mais completo guia disponível para o ingresso na vida pública.

No dia 27/07, no Teatro João Theotonio, na Universidade Candido Mendes, foi realizada a noite de autógrafos da nova edição do “Manual do Candidato às eleições” do Sociólogo e Cientista Político, Geraldo Tadeu Monteiro.

Leitura indispensável para os interessados e estudiosos do cenário eleitoral, o livro aborda, em sete passos, todos os aspectos envolvidos em uma candidatura a um cargo eletivo, situando-a no contexto da vida política nacional e no respeito às regras e às instituições política democráticas.

Confira o trecho:

A Democracia no Brasil, apesar de ainda jovem, já ostenta uma larga experiência. Em pouco menos de 30 anos, já passamos por nada menos que 14 eleições nacionais e municipais, um referendo e um plebiscito. Considerando os segundos turnos das eleições regionais e municipais, muitos de nós já comparecemos pelo menos 32 vezes às seções eleitorais para manifestarmos nosso voto. […] Por outro lado, claro, multiplicaram-se também os problemas, como os abusos do poder político e do poder econômico nas campanhas eleitorais e a excessiva judicialização das eleições. Mas, estes problemas têm sido enfrentados com o fortalecimento da Justiça Eleitoral e com novas leis, mais rígidas, para coibir os excessos na luta pelo voto popular, tais como a Lei da Ficha Limpa e a proibição de doações eleitorais por empresas privadas.

O livro pode ser adquirido com desconto exclusivo e frete grátis aqui: gramma.com.br

Geraldo Tadeu Moreira Monteiro

É Sociólogo e Cientista Político pela Universidade Panthéon-Sorbonne. Professor da UERJ e do IUPERJ, membro da Associação Brasileira de Consultores Políticos (ABCOP) e autor de vários livros e artigos, entre eles: Ensaios de Sociologia, Política e Direito. Gramma (2016), Manual do Candidato às Eleições, Gramma (2010), Manual Prático de Campanha Eleitoral, Gramma (2004) e Construção Jurídica das Relações de Gênero. Renovar, (2003).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.