O sustento da vida é o amor

Photo by MD Duran on Unsplash

Sem o amor a vida seria muito chata. Sem sorrisos, alegria, sem amigos para dividir um brigadeiro de panela, sem a paciência dos pais, sem a saciedade de ser abraçada pelo boy, sem a satisfação que é ver seu sobrinho crescer. Sem o amor não haveria alegria em ouvir:

— A comida está pronta!

Ah! Tem prova de amor maior do que cozinhar para alguém? Para mim isso é puro amor. Talvez por isso a comida de nossos pais sempre é a melhor, a mais gostosa. Não tem nada mais amoroso do que uma mãe ou um pai cozinhando para os filhos. Se fosse para tentar construir um retrato do amor a cena aconteceria em uma cozinha. O vapor saindo das panelas, uma janela por onde entra luz do sol, pães na mesa e bananas na fruteira.

Photo by Gaelle Marcel on Unsplash

Dá para ouvir o chiado da panela de pressão.

Tchii, tchii, tchii, tchii, tchii, tchii…

Isso me faz lembrar da infância quando minha mãe trabalhava e só tinha folga uma vez por semana: na segunda-feira. Era o dia mais aguardado por mim. Ia para a escola muito feliz porque sabia que quando chegasse em casa ela estaria preparando o jantar. A casa teria um perfume que só podíamos sentir quando era segunda.

Ela usando bobes e cozinhando aquele arroz soltinho. O pudim já estava na geladeira e o bolo terminava de assar. Minha mãe trabalhava demais e poderia passar o dia de folga descansando, mas ela acordava cedo, areava as panelas — coisa que sempre odiei — , passava Henê no cabelo, cuidava das plantas e depois ia cozinhar.

As roupas e a casa eram nossas tarefas (minha e de meus irmãos) e normalmente fazíamos faxina aos sábados. Então na segunda a casa estava limpa, só esperando nossa musa preparar o banquete. Segunda-feira era dia de assistir Tela Quente comendo pudim ou mousse cremoso.

Amor é isso. Doação sem nenhum interesse. Se dedicar e fazer algo apenas para dar sem receber nada. Só que quem age dessa forma sempre recebe algo: mais amor.

É impossível doar-se para o bem e não o receber de volta. Da mesma maneira que a chuva molha e o fogo queima, o amor verdadeiro sempre vai ser recíproco.