Planos, mudanças e surpresas

Quando o que deu errado é o que deu mais certo

Fim do ano ai, hora de rever o que havíamos planejado, o que conseguimos realizar, fazer o balanço e planos pro próximo ano. Super legal e este clima me fez pensar muito em como a vida é f*#@, no bom sentido e as vezes, muitas vezes, o que dá errado é o que mais dá certo, já nem sei se devemos mesmo chamar o que não saiu como o planejado de "algo que deu errado" afinal aprendemos e mais do que aprender com o erro aprendemos que não sabemos nada sobre a vida que só nos resta ter coragem, enfrentar os medos, rir de nós mesmo, nos reinventar e seguir em frente.

Neste ano maluco que está acabando eu mudei de casa, de cidade (voltei), troquei de carro, fiquei sem carro, mudei o cabelo, adotei um cachorro lindo ❤, mudei alguns amigos, mudei de cargo, me afastei de algumas pessoas, me aproximei de novas pessoas, me reaproximei de algumas outras, mudei de alma, doeu, chorei, sofri, sorri, dancei (mal mas dancei), bebi, fiz coisas bacanas, fui muito feliz, tive surpresas ótimas, o frio na barriga voltou, encontrei pessoas maravilhosas, li livros lindos, tive medo mas medo de verdade, vontade de desistir, aprendi muito, viajei, vivi intensamente.

E revendo os planos que eu tinha feito muitas coisas eu consegui realizar, mas deixando o profissional e financeiro de lado, focando só no que diz respeito ao âmago do meu ser, aiii é que o bicho pega, sofri muito mais mudanças neste campo, eu mudei e contínuo mudando, o mais legal são as mudanças que a vida nos força a fazer, ela nos troca de lugar e quando percebemos tudo mudou, mudaram as pessoas a nossa volta, mudou até o cenário que nos cerca, mas mudou porque algo em nós mudou, algo bem lá no fundo, na essência, não é que o que existia não era bom, pelo contrário estava tudo lindo, vivia em uma fase que mais parecia um dia calmo, belo e ensolarado, os planos seguiam sendo realizados e sabe por que arriscar tudo? Por que eu mudei e descobri que a vida não diz amém pra todos nossos planos e isso é uma benção.

Voltando um pouco mais, olhando os planos de alguns anos atrás o Greg de hoje Ri dos planos dos Gregs dos anos anteriores, o inocente Greg que sonhava com uma casa, um ipê amarelo, cachorros, carros, uma triumph e uma linda família, estabilidade e poder profissional, águas calmas, uma bela coleção de ternos ingleses, relógios caros, sapatos de couro legítimos e uma vida fitness. O cara que me tornei acha até bonitinho esses sonhos mas eu sei que não caibo neles — ta bem, deveria ter mantido o desejo por uma vida fitness — chego a questionar o quanto estes sonhos eram meus e o quanto me venderam isso, nessa época eu achava que tinha tudo sob controle (bobinho né?) que bastava planejar, pensar em todas as arestas e pronto, tudo eu poderia mudar e fazer do meu jeito.

Hoje não tenho mais vergonha de mudar de opinião e como dizia Raul

"Eu vou desdizer. Aquilo tudo que eu lhe disse antes"

eu vivo me mudando, por acaso e por vontade, cheio de medo, parece que estou sempre começando enquanto a maioria das pessoas estão naquele momento que você ainda tem muito o que fazer mas já tem muito o que perder e isso te anestesia. Sabe quando você encontra os amigos e eles todos estão casados, estáveis no emprego, da lista grande de planos eles já tem muitas coisas, eu só tenho o ipê e ainda é um bonsai porque só isso que cabe no apzinho. Todo mundo caminhando do meio pra frente do caminho e eu começando, isso assusta parece que você perdeu, mas como hoje sei que não se trata de uma prova de velocidade, continuo seguindo o meu coração e vou nessa busca angustiante de encontrar a essência, aliás, só pra pontuar, não acho que isso seja uma virtude é apenas o que preciso fazer e parafraseando o Karnal

"A ignorância é uma bênção. O conhecimento também gera decepções,"

seria mais fácil e confortável seguir o caminho, talvez menos feliz e com certeza menos fiel à mim mas sem dúvida mais confortável.

Esse tempo todo eu fui aprendendo e em 2016 eu me busquei mais que qualquer outro ano, me encontrei, me perdi, me mudei e essa é a grande graça da vida, é ela quem manda e ela vai nos chutar, nos bater, nos abraçar, depois vai nos derrubar e então nos ajudar a levantar, vai nos surpreender de maneiras lindas e depois nos chutar novamente, mas se a gente seguir nossa essência o que sempre vamos ter é essa energia, esse frio bom na barriga, esse medo do novo que nos leva adiante que nós faz sair do sofá e viver.


Que venha 2017, que a vida nos mude mais e nos surpreenda muito.


Viva a poesia da inconstância do que não podemos controlar.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Greg Lopes’s story.