Cai o Rei

O Rei caiu, olhe lá! Foi ela quem derrubou. Quem vestia as roupas do rei! Esse “quem” tem flexão: não fora os soldados com suas armaduras e lâminas afiadas; não fora os deuses com seus poderes de armar trovoadas. Fora ela! Ela! Esse “quem” tem flexão! Ela: quem vestia as roupas do rei.

Os soldados trôpegos bebem e cantam as batalhas conquistadas. Mas ela não bebe e não canta. Ela derrubou o rei, por que diabos ela não dança?Ela, que vestia o Rei! Ela cuja função era cobrir o Rei: despiu-o. Mas ela não dança.

Não dança porque não escolheu estar nessa batalha. Não dança porque para despir o rei, teve que despir-se também. Não dança porque para expor a violência, teve que expor-se. Para enfrentar o rei, teve que enfrentar a si. Essa coragem, os cavaleiros jamais saberão. Essa dor, na vitória, os cavaleiros jamais saberão.

O Rei caiu: olha lá! Ele, que fora construído na imagem do Rei-desejado. O Rei que teve todas as Helenas que quis em sua cama. O Rei cujo grisalho enalteceu ainda mais sua virilidade.

Ela despiu o Rei.

Obrigada e sinto muito, Susllem Tonani!