Incrível relato de um dia absolutamente comum

(é cedo, bem cedo)
Ah! Que preguiça de abrir os olhos. Que preguiça de erguer a cabeça. Ah!, oi, mulher. Calma, não, não, eu não quero essa chupeta. Não quero! Tá, tudo bem, eu quero. Será que eu não posso dormir só mais cinco minutinhos? Não, não foi isso que eu pedi; haha!; não, eu tenho cócegas na barriga, ah, para!, isso não é legal, haha, para! Então tá, então. Não quero mais dormir. O que é que você está falando? Como é? Comida? Se eu quero comida? É claro que eu quero comida! Eu sempre quero comida. Oh, bom dia, homem. Você parece com sono. Ei, calma, me deixa aqui no berço, calma; nossa senhora! Eu estou voando! Aqui é muito, muito, muito alto, mesmo! Uau! Homem, o que é que você está fazendo? Não me coloque de volta no berço, eu quero continuar lá em cima! Não? Certo. O berço é um lugar legal, também. Oi, de novo, mulher. Sério? Está na hora? Que maravilha! É claro que eu estou sorrindo. Essa é a melhor coisa do mundo! Oh, céus, eu não sabia que estava com tanta fome. Ok, vou ficar quieta…

(72 ml’s de leite materno depois)

(já não é mais tão cedo)

O que aconteceu? Eu estava… de repente… ei, oi, homem. Bom dia para você também. Sim, eu acordei. Por que você está gritando que eu acordei? O que é que você esperava? Eu vou chorar, mesmo, já que você não para de gritar! Ah, que cara engraçada você tem! Haha, tudo bem, tudo bem, eu não vou mais chorar, haha!, você tem mesmo uma cara engraçada. Uma mágica? Sim, claro, eu gostaria de ver uma mágica. Calma, calma!, o que você pensa que está fazendo? O quê? Você… você pegou… o meu… você pegou o meu nariz! Homem, devolva o meu nariz! Agora, imediatamente! Eu quero o meu nariz! Mas que diabos você pensou que estava fazendo? Nunca mais roube o meu nariz! Olá, mulher, que bom que você chegou. Este homem não é confiável: ele roubou o meu nariz. O que se pode esperar de um homem que rouba um nariz? Pois é. Oh, um passeio? Claro, eu gostaria de um passeio. Vamos para um passeio. Mas, antes, e quanto a comida? Eu estou com fome. Ei! Eu estou com fome! Ah, isso, essa é uma boa ideia. Sim, eu sei. Chorar quase sempre resolve.

(mais alguns ml’s de leite materno depois)

Hm, hm! Agora, sim. Um passeio, então? Ei, uou!, calma, você está me levantando muto, oh, eu vou tocar o teto, meu senhor! Não, me deixa aqui no alto. Bom, o carrinho também é bacana. Tudo bem. Pois vamos? Calma lá, calma lá, uou!, esse carrinho é muito rápido! É o carrinho mais rápido do mundo! Onde estamos indo nessa velocidade? Oh, o que… mas que… eu estou cega! Homem, mulher, eu estou cega! Eu não consigo ver nada. Não, calma, espera, consigo, sim. Está melhorando. Oh. Meu. Deus. O que é isso? Pintaram o teto de azul! O que são esses desenhos? Por que tem um elefante no teto? E um dinossauro? E um nariz! Olhe lá, mulher! Tem um nariz desenhado no teto! Ali, logo ao lado daquela mão gigante! Pintado de branco. Não fale para ele, mas eu acho que foi o homem que roubou meu nariz e o colocou lá. Esse é o teto mais legal que eu já vi! Homem? Mulher? Por que vocês não estão olhando para o teto? Como vocês podem não olhar para isso? É incrível! Falando nisso, alguém se importaria em apagar a luz? Essa lâmpada é realmente potente. Oh, obrigado, essa sombra serve. Onde nós estamos indo? Oh, deus! Olhem! Olhem ali! Como vocês dois podem não estar olhando para aquilo? Olhem aquele retângulo! Como pode um retângulo ser tão grande? E com tantos retângulos menores dentro dele! Homem, mulher, olhem!, o retângulo está quase chegando no teto — e parece que o teto é tão alto que nunca pode ser tocado! Pelo amor dos narizes roubados, vocês dois não prestam atenção em nada! Ei, o que é isso aí na sua mão, mulher? Por que você está colocando isso na minha… por. toda. comida. do. mundo. Que coisa maravilhosa! E gelada! Parece que eu estou engolindo o inverno! Um inverno maravilhoso feito de banana! Volta aqui, eu quero mais! Mais, isso, muito mais. Essa é a melhor coisa do mundo! Como eu nunca comi isso antes? Homem, não ouse… homem!, tire a boca dessa maravilha que é minha! Ah, por deus, não é possível. Primeiro você rouba o meu nariz, agora transforma minha felicidade gastronômica em um palito! Mulher, eu falei que não podíamos confiar nele. Sim, eu estou chorando, o que é que você esperava? Isso, vamos voltar para casa. Mas antes me digam: onde é que estamos? Ou não, não digam. Nossa, tudo bem. Eu acho que vou ficar aqui enfiando minha mão na minha boca como forma de protesto por ter sido ignorada.

(algumas portas e degraus depois)

Eu conheço esse lugar. Ah, sim, estamos em casa. Mulher, eu gostaria de sair desse carrinho. Assistir desenho também serve. Certo, eu aceito assistir desenho no carrinho. Oh, céus!, olha essa porca andando de bicicleta! Uma porca, mulher, numa bicicleta! Dê uma risada, vai, isso é hilário. Agora a porca está apostando corrida! Não, eu não aguento, isso é engraçado demais, haha!, eu vou engasgar de tanto rir, ha, ha! Opa. É… opa. Ei, mulher, tem algo na minha fralda. Eu não sei o que aconteceu, eu estava rindo e de repente, uau!, minha fralda ficou cheia e quentinha. Oh, obrigado, assim, sem calças, é muito melhor. Esse pó branco faz cócegas! Haha! Pare, mulher! Não ria, isso não é legal — hahaha! Ok, chega, já deu, eu gostaria das minhas calças de volta. Obrigado. Ei, mulher, eu estava pensando… oh, isso, era isso mesmo que eu estava pensando. O dia de hoje foi uma doideira, não foi? Eu quase fiquei sem nariz! E isso dá muita fome. Sim, comer, essa era a ideia. Hm!, essa é a melhor coisa do mundo! Que maravilha… ei, mulher, eu… eu estou… eu não consigo… meus olhos… ei, mulher, eu acho que eu vou.


- Amor, ela dormiu.

- Graças a Deus. Aproveita e vem dormir, também.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.