Samba da Bênção: https://www.youtube.com/watch?v=KEAxP_B2wcM
“ Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não”

Sê ridículo

Que é muito melhor ser feliz
a ser triste, tu sabes.
Sabem outros, sabe o Samba
Sabe a Bênção.
Que sejas feliz, então:
Mas que tua felicidade
Seja através do teu peito,
Que tu sejas o teu peito,
Sendo amor.
Sabes o que falam, as Pessoas
Da carta de amor
Que é ridícula
Senão, não é amor
Que o amor, em si, é ridículo
Pois é. Então seja, também
Ridículo. Mas seja,
amor.
O amor do tesão,
Da paixão,
Da mulher amada
Com seu amado,
Ou do amado,
Com seu amado,
Com sua amada,
Como queira o amor.
Mas nunca só:
O amor em si:
O amor dentro de si,
O amor por si,
Pelos outros,
Por todos,
Pelo que te cerca e pelo que te falta,
Pelo que tens e pelo que desejas:
Coloca-te como amor em tudo,
teu instrumento para ser feliz.
Coloca-te como amor,
pois como ódio é bobagem:
não que não devas curtir ódio!
Não, deves, Riobaldo não disse?
Mas curta ódio de mentirinha,
Nunca por tempo demais,
Transforma o teu ódio
Em amor, em paz,
Sem que ele, o ódio, te controle jamais.
Na tua vida, exerça tuas obrigações
Colocando todo o esforço da tua consciência:
Assim fazendo, e serás dedicado.
Um marido dedicado,
Uma esposa dedicada,
Um ser dedicado.
Coloca, pois, mais!
Coloca todo o teu coração:
Assim serás humano,
Apaixonado.
Assim serás poeta,
Assim será criatura,
Criador,
Um ser de amor.
Assim serás eterno.
Se, por vezes, não o puder fazer
Puder colocar apenas toda tua consciência:
Faça! Mas não em demasia,
sempre de maneira finita.
Faça por si e pelos outros,
Mas nunca pelo fim em si,
Sob pena de se tornar frio e infeliz.
Se puder colocar todo teu coração, inconsciente:
Coloque! Mas com prudência,
Com atenção,
Para que não firas,
Nem seja ferido
de maneira cruel.
Coloca, porém, porque colocará amor,
Matéria infinita.
Não há motivos para ter medo de gastar,
Abusar,
Oferecer,
Ser.
O amor não se reduzirá a termo,
Não se esgotará,
Nem desgastará,
Nem se perderá num dia de tristeza,
De solidão e escuridão,
Porque se tu amas,
Amará tua solidão
E dela evocará o caminho
Até reencontrar as razões
Que guiam teu coração.
Ama, portanto!
Ama, e emana.
Em cada beijo, em cada toque,
Em cada abraço, em cada acorde,
Em cada palavra, em cada trabalho,
Em cada ócio, em cada ofício,
Em cada dia, em cada noite,
Em cada riso, em cada choro,
Em cada gozo, em cada sono,
Em sempre: emana de ti
O amor que tens e carrega contigo.
Emana aos teus pares,
Emana à tua função,
Emana à natureza,
Emana à vida,
Dá teu amor a tudo
Tornando tudo, pouco
Confundindo-se com a própria existência
E tua ausência nunca se fará sentir:
Teu amor te tornará o próprio existir.
Porém, se chegado o dia em que
Não for capaz de colocar nem toda tua consciência,
Nem todo o teu coração:
Coloca nada, então!
Vire-se, retire-se, vá,
Peça desculpas, se preciso for,
Mas não coloca.
Não te coloca como metade,
Como uma parte,
Como um suporte,
De nada,
De ninguém.
Só te coloca quando inteiro,
E inteiro sendo
Dedica-te por inteiro ao amor.
Feito assim,
Tu por inteiro,
O inteiro pelo amor,
Não precisará fazer mais nada.
Tu serás a felicidade,
Serás humano,
Serás eterno,
Serás homem, mulher, menino,
Poeta e poesia,
Tu serás puro, carregando todas as impurezas,
Tu serás puro e feliz dentro do teu coração.
Teu coração que é o mundo inteiro.
O mundo inteiro:
Um homem só, ridículo, amando a imensidão.

Like what you read? Give Gabriel Schincariol Cavalcante a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.