Eu, Gabriela de Sena

Meu nome é Gabriela, sou brasiliense e tenho 23 anos. Desde pequena, sou apaixonada por esportes — atualmente jogo futevôlei e tênis — , por jogos de lógica, quebra cabeça. Amo ler, viajar, me reunir com amigos e família, conversar. Penso que a cada conversa que temos com alguém, aprendemos uma coisa nova e aprender me fascina.

Desde a época de escola, eu participava de ações sociais e convivia com realidades muito diferentes da minha, o que me fez aprender que os seres humanos precisam principalmente de empatia para se sentirem motivados.

Sempre gostei muito de fazer cálculos, de criar coisas novas e, por isso, optei por prestar o vestibular para alguma engenharia, mas não sabia qual. Por isso, fui à Universidade de Brasília conversar com os coordenadores de cada curso de engenharia para entender melhor sobre as áreas. Engenharia Química me encantou por abranger todas as matérias exatas e por permitir que o profissional faça parte do processo de transformação de matérias-primas em produtos que serão úteis e poderão mudar a vida de milhares de pessoas. Hoje, estou cursando o último semestre e muito satisfeita com a minha escolha.

A Engenharia Química é um curso novo na minha universidade e eu, como aluna, sentia muita falta de ver na prática a atuação de um profissional da área. Em 2016, fui a um congresso em São Paulo e lá tive contato com o AIChE (American Institut of Chemical Engineers). Descobri que eu poderia abrir um capítulo estudantil na UnB vinculado ao AIChE Global, que teria como objetivo a aproximação dos alunos com a indústria. Levei a ideia à Brasília, reuni alguns colegas que eu sabia que poderiam me ajudar e todos manifestaram interesse. Na época, atuei como presidente, escrevemos o regimento interno e o plano de atividades e submetemos à sede do AIChE nos EUA. A documentação foi aprovada e em agosto de 2017 nasceu o AIChE Brasília. Passei a atuar como Diretora de comunicação e hoje já fizemos mais de 15 visitas técnicas, trouxemos diversos palestrantes à Universidade, ministramos minicursos, divulgamos conteúdos sobre a Engenharia Química, processos seletivos e outros assuntos correlacionados. Como sou formanda, me tornei ex-membro do capítulo, mas consegui deixar um legado e o capítulo vem se tornando cada vez mais estruturado e consolidado, o que me enche de orgulho. Nossos resultados foram até melhores do que esperávamos, no entanto, eu teria definido melhor a cultura e valores do capítulo antes de ter aberto o processo seletivo, para que pudéssemos selecionar as pessoas que realmente se alinhassem aos propósitos do AIChE.

Outra grande conquista foi o meu intercâmbio. Passei por um processo seletivo para viver em Portugal durante 6 meses. No entanto, por ser um acordo de cooperação, apenas os gastos com a Universidade de lá estariam assegurados pela UnB e meus pais não teriam condições de bancar meus gastos. Portanto, a fim de arrecadar fundos, organizei um bazar e, em um final de semana, consegui juntar 11 mil reais, o que me permitiu realizar um sonho.

Essa mudança foi a experiência que mais marcou a minha vida. Pela primeira vez fui morar longe dos meus pais, o que me trouxe muitas responsabilidades, como gerenciar os gastos, pois ao final do mês eu teria várias contas para pagar, resolver os problemas por conta própria. Além disso, fui morar com mais 4 pessoas em um apartamento, o que me trouxe mais disciplina e organização, afinal eles dividiam os espaços comigo 24 horas por dia. Além disso, conheci lugares e pessoas incríveis, do mundo inteiro, que me mostraram que, apesar das diferenças culturais, somos todos iguais, com desejos e sonhos semelhantes e que os relacionamentos com as pessoas são essenciais para que as experiências sejam ainda mais marcantes.

Fim de tarde em Porto, Portugal

Perante meus amigos e familiares sou reconhecida como uma pessoa determinada. Tudo o que eu quero eu vou atrás, quando eu começo a fazer alguma coisa, vou até o fim. Se está dando errado, eu procuro a causa do erro e melhoro e, se for preciso, mudo os métodos que eu adotei inicialmente. Mas desistir, nunca!

Nas horas vagas, produzo cerveja em casa e pesquiso muito sobre o assunto, faço cursos online em plataformas como o Coursera sobre gestão, negociação, dentre outros cursos de desenvolvimento pessoal, pesquiso sobre alimentação saudável e testo receitas, além de estudar e praticar violão.

Escolhi ser Trainee Johnson & Johnson porque os meus valores se alinham com os valores da empresa, porque quero que o meu trabalho impacte o máximo de pessoas possível, não só os clientes, como também os meus colegas de trabalho . Em uma carreira eu busco oportunidade de crescimento, como forma de reconhecimento do meu esforço, busco conhecer a cadeia produtiva da empresa como um todo, a fim de entender as necessidades específicas de cada área e como isso pode impactar no meu trabalho, busco colocar em prática os meus conhecimentos e aprender cada dia mais.

Eu quero ser lembrada como uma pessoa humanitária, que revolucionou a organização nas empresas e entregou resultados que tenham impactado diretamente no crescimento da mesma. O meu propósito de vida é tornar a vida das pessoas mais leve, é proporcionar saúde e bem-estar.