Desembarque pelo lado esquerdo

Lembra daquele dia que falei que te encontrava na catraca do metrô? Então, você atrasou muito, mas nem passou pela minha cabeça ir embora. Em algum momento, eu daria um sorriso ao te ver e só isso importava.

Indas e vindas de algumas estações, a velocidade reduziu. Não sabíamos aonde queríamos chegar. Nunca soubemos. Até que, um dia, parou. A gente se olhava sem saber o que fazer. Foi a primeira vez que não descemos juntos. Meu desembarque ainda era do lado esquerdo, mas o seu, não.

Engraçado é que desde que não andamos mais juntos, a voz que anuncia o que devo fazer é gravada. Nada mais é espontâneo. Aliás, passei por lá outro dia, não teve velocidade reduzida e desci pelo lado esquerdo. Olhei pro lado e o sorriso foi recíproco.

Não me espere mais na catraca. Já segui viagem.