Tudo novo, de novo

Como muitos sabem, desde que deixei de lado a publicidade descobri uma nova paixão e um novo objetivo ao mesmo tempo: a de fazer com que meu trabalho deixe algum legado para o mundo, que tenha algum propósito a mais do que só vender coisas e marcas.

Por isso, há quase dois anos, venho me preparando, estudando, aperfeiçoando e buscando novas soluções que transformem a vida das pessoas, de futuras gerações mas que tragam também benefícios imediatos.

Nesse caminho, junto com Pedro Ivo Resende, fui um dos fundadores da GreenHaus, empresa que incialmente foi criada para oferecer soluções sustentáveis e simples ao mercado residencial. A empresa cresceu, tomou corpo e novos rumos também. Atualmente vendi minha participação na empresa e trilho novos caminhos.

A effizi nasce como uma empresa nova, porém, com muita experiência acumulada.

Não só nos preparamos individualmente — eu e Leonardo Eder — como também buscamos no mercado o melhor time de fornecedores e dos mais consagrados profissionais, formando assim, uma rede de trabalho integrada apenas por profissionais gabaritados e fornecedores alinhados com os mais rígidos padrões de seleção.

São projetistas, engenheiros, consultores, fornecedores de equipamento, instaladores, arquitetos, incorporadores e construtores, em média, com mais de 20 anos de atuação em seus segmentos, alinhados com responsabilidade social e ambiental no dia-a-dia de suas atividades.

Convido à todos vocês a conhecerem a effizi, uma empresa com foco em eficiência hídrica e energética através de soluções sustentáveis e de engenharia.

Não importa o tamanho de seu negócio: casa, fazenda, condomínio, comércio ou indústria. Teremos sempre uma solução eficiente e com retorno sobre investimento garantido, desde um simples aproveitamento de água de chuva até aquisição e manutenção de grandes estações de tratamento de água e esgoto ou de um parque de geração de energia solar.

Venha conhecer o muito que já fizemos em tão pouco tempo. 
Será um prazer imenso.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.