Contato (Carl Sagan)

Carl Sagan foi o responsável por despertar a paixão pela ciência em toda uma geração, principalmente através da série de TV Cosmos, exibida nos anos 80. Divulgador da ciência, do ceticismo e do método cientifico, Sagan também era um entusiasta da busca por vida inteligente em outros planetas, tema-chave de Contato, seu único romance.

O livro tem como enfoque principal a história da Drª Ellie Arroway, uma espécie de alter ego do próprio Sagan. Ellie foi uma criança curiosa, com aptidão para a matemática e muitas vezes considerada inoportuna pelos adultos, devido aos seus questionamentos. Após terminar os estudos, ela é aceita como pesquisadora em um projeto de radioastronomia, cujo objetivo é apontar telescópios potentes em direção ao universo profundo em busca de sinais de rádios de civilizações extraterrestres que poderiam estar tentando se comunicar conosco (o projeto retratado no livro é inspirado no SETI). Diante da ausência de resultados efetivos em um longo período , e da desconfiança do restante da comunidade científica, a pesquisa de Ellie se vê às voltas com ameaças de redução orçamento e cancelamento, até que um sinal é recebido.

Aos poucos, a Mensagem vai se espalhando. O fato de sinal conter imagens de Hitler discursando (fato explicado devidamente explicado depois) só colabora com o burburinho crescente. Após esforço conjunto de cientistas do mundo todo, conclui-se que a mensagem é um manual de instruções para a construção de uma grande máquina, cuja finalidade é incerta.

Nesse cenário, Sagan explora diversos aspectos buscando imaginar o que aconteceria à nossa sociedade se uma inteligência extraterrestre, aparentemente muito mais avançada, entrasse em contato. Haveria convulsão social? Como as religiões reagiriam? Países inimigos estariam dispostos a colaborar em nome de um bem maior?

Fica nítido em meio a essas reflexões o embate entre ciência e religião, principalmente entre Ellie, extramente cética e de certa forma intolerante e o religioso Palmer Ross. Contudo, ao final desse embate não há vencedores, pois ciência e religião se encontram: ambas, em alguma medida, são exercícios de fé. Para Ellie, essa constatação é acompanhada de uma revelação dolorosa sobre sua família. Justamente ela, que sempre buscou a verdade indubitável do Universo, teve uma verdade sobre si própria oculta durante toda a vida.

Sempre prezando pelo rigor científico, Sagan incluiu diversas explicações teóricas no livro, o que pode espantar aqueles não muito afeito ao tema. Isso, contudo, não atrapalha em nada a leitura, que é fluída e agradável. A adaptação de Contato para o cinema altera alguns pontos da história, mas preserva a mensagem principal inalterada.

Enquanto descobrir se há vida inteligente fora da Terra parece uma realidade distante, o romance de Sagan é excelente de exercício de imaginação, e quem sabe, uma importante forma de nos prepararmos para quando a mensagem finalmente chegar.