O Youtube Poop como vanguarda artística =3

O Youtube Poop foi uma benção celestial que salvou minha adolescência de ser uma grande porcaria auto destrutiva. Eu era um menino parcialmente esquisito, cheio de criatividade e entusiasmo que queria compartilhar isso com o mundo, mas que, como eu morava numa cidadezinha microscópica de 10000 habitantes perdida no meio do planalto rio grandense onde tudo acontecia da maneira menos dinâmica possível e todo mundo só era colono fascista, não dava muito certo. Até que um dia eu conheci a internet e essa coisa linda que pra mim se compara ao movimento dadaísta, uma puta arte de vanguarda.

O Youtube Poop trata-se de editar uma source audiovisual até virar uma merda, não no sentido escatológico propriamente, mas no sentido de algo totalmente indefinível, confuso, aleatório, inconsistente, etc. Outra definição vai justamente defini-lo como P-O-O-P: Pieces of other pieces, devido a sua natureza desconstrutiva.

Eu digo que o Poop é uma tendência digital pois não apenas isso é evidente em sua origem e desenvolvimento, que se assemelha muito a do vaporwave (alguém começou a fazer algo que foi repetido por outros até que de repente havia um monte), como eu digo que o Poop é o responsável pela internet hoje ser um monte de lixo, pois inspirou o tipo de edição zoada que permitiu ascender esse pessoal chato youtuber da vida que flooda a internet inteira.

Na verdade esse tipo de edição sempre existiu em todo tipo de mídia, o que difere o Youtube Poop é que ele é feito por e voltado para um público nerdão, então é lotado de referências e piadas internas que apenas são compreendidas por tais, além de um nonsense exagerado. No momento que o resto do youtube começa a imitar essa edição de maneira menos extrema, com piadas racionais e sem pré requisito de repertório, o povo basicão aplaude. É como comparar a Monalisa com Guernica: ambos são pinturas, um é uma mulher fotorealista sorrindo, o outro é uma representação sintética contextualizada. Qual deles sua vó vai querer comprar para colocar na parede da sala? As pessoas só gostam do que elas entendem, é por isso que a maioria não aprecia o Poop (apesar de alguns afirmarem que o conseguem com ajuda de um tapinha na alface de satanás, seria isso a afirmação de que o uso de drogas abre as portas da percepção?).

Tudo começou em 2004. Naquele tempo a internet estava começando a ter um ambiente mais legalzinho e acessível, frequentada por jovens filhos do gerente do banco do brasil que tinham banda larga e ficavam em casa jogando CS, ragnarok, grand chase, participando de fandons de sonic no deviantart e diversos fóruns sobre cultura pop. O resto das pessoas ainda passava o tempo fora de casa ao ar livre, sentados no muro da praça tomando coca com os amigos e perdendo o BV, ou em casa mesmo, assistindo a incrível jornada no sbt pela enésima vez. Era um tempo de exploração na internet, as pessoas estavam compartilhando conteúdo umas com as outras, como episódios de south park gravados da tv e coisas caseiras inéditas feitas por elas mesmas.

Nisso um usuário chamado SuperYoshi estava fazendo experiências no Movie Maker (super programa que veio instalado com seu windows XP), que consistiam em editar um episódio de The Super Mario Bros. 3, de maneira que alguns pedaços se repetiam de maneira aleatória.

O primeiro Poop ever!

O video foi postado no SheezyArt e foi bem recebido. SuperYoshi e seus amigos continuaram produzindo esses videos usando outras sources como o desenho do mega man e AOSTH, e finalmente jogaram tudo no recém nascido youtube com intuito de bugar e deixar putassas pessoas que estivessem procurando episódios normais pra assistir.

Um Youtube Poop gringo.

Após o termo Youtube Poop ter sido criado para definir esse tido de vídeo, o movimento ganhou alta popularidade e deixou de ser apenas uma edição para confundir as pessoas para ser uma forma de entretenimento.

Graças a internet, o Poop pôde ter suas possibilidades exploradas coletivamente, onde cada Pooper aponta para novas formulações de ideias, os quais podem ser evocadas ou ignoradas. Temos principalmente o uso de sources diversificadas, que viriam a se tornar icônicas, como as cutscenes de Zelda e Mario para CD-I, ao mesmo tempo que a repetição no uso das mesmas vem a transforma-las em piadas internas que ajudam a consolidar características típicas do Poop, como a criação de bordões

O espaço oferecido pelo youtube da época permitia uma interação tri bacana entre os poopers, que podiam trocar mensagens e responder videos com outros videos (fads), comentar no canal, personalizar, etc… Dessa forma o Youtube Poop se tornou uma comunidade, onde era possível fazer amizades e construir coisas junto. Um bom exemplo br disso é o chat da SobreverboS (lê-se de traz pra frente), que começou no msn e passou por skype, axon, entre outros aplicativos, que sobrevive até hoje, onde alguns poopers se encontram para jogar videogame e falar merda.

O poop no Brasil teve sua atividade inciada em 2007, expandiu consideravelmente de 2009 para 2010 e teve seu ápice em 2011. Inicialmente imitava-se os gringos mas logo foram introduzidas sources brasileiras como chaves, novelas e programas de tv. As sources de CD-I foram fandubladas pelo próprio EdwardtheCat, pooper br, para poderem ser utilizadas. Foram criados pela comunidade um prêmio anual de melhores poops, collabs, fads, chats, servidores de minecraft, um encontro nacional que acontecia em São Paulo, e até mesmo uma twich tv que passava poop 24 horas por dia (imagine a quantidade de conteúdo já produzida a essa altura).

Apesar de ainda existir Youtube Poop ativo, eu acredito que seu conceito original tenha morrido ainda em 2013. Parte pela expansão inusitada que perdeu o controle desestabilizando o movimento, parte pela mudança de interface do youtube que terminou com a interatividade (como por exemplo terem escondido os comentários do canal num lugar que ninguém sabe que existe e enxerga), e, principalmente, por virar modinha, começar a ser imitado por youtubers idiotas sagazes por inscritos, enchendo de criança chata de 9 anos afobando e acabar por saturar tudo. Vários poopers famosos caíram fora nesse período, simplesmente sumindo do mapa.

Um dos melhores poopers, que como a maioria virou peido sem aviso.

Além do mais, é um dos melhores exemplos que eu já vi de como uma comunidade virtual pode ter problemas tão próximos da vida real, sendo que existia muita treta entre grupos de poopers, do nível panelinha/intriguinha de big brother (que sempre achei impressionante, sendo que todo mundo morava a distância e se falava pela internet)….

Por fim: HOW TO YOUTUBE POOP

O tutorial que me ensinou a mexer no Sony Vegas :3

Aqui temos um episódio clássico do Pato Donald. E aqui temos esse mesmo episódio poopado. Veja que o conhecendo a source assistir o poop fica mais inusitado. Há duas maneiras de se fazer um Youtube Poop: em visual rape, que deriva do conceito original do poop de cagar seu cérebro, ou simplesmente fazer algo idiota mas que faça sentido. Na dúvida equilibrar os dois.

Dentro do youtube poop há diversos gêneros, por exemplo: Youtube Poop Short (poops com cerca de um minuto), Youtube Poop Ping Pong (um pooper poopa a source, o outro faz um poop do poop dele, o outro faz um poop do poop do poop e por assim adiante) e Youtube Poop Music Video ou Youtube Poop MV/YTPMV (consiste em uma espécie de poop musical, o mais famoso é o Seu Madruga Will Go On, do Mestre3224) O poop inclusive se expandiu pra outros áreas, como o Red Tube Poop.

O Youtube Poop é hipertextualide pura, portanto uma manifestação artística extremamente rica e inteligente, talvez estragada pela própria liberdade.
E pra encerrar, um poop que eu fiz no meu ensino médio: