Adaptação na metrópole.

“Visitar São Paulo me mostrou que o ser humano tem uma capacidade impressionante de adaptação e aceitação a adversidade.” – Meu tio.

Alguns dias atrás, eu sai com meu tio que mora em Paraguaçu Paulista (Extremo Norte do Estado) para dar um “Rolê” na Santa Efigenia. Saímos de lá ás 17h, e ás 20h30 estávamos presos na dentro do carro na Radial Leste, vias transversais congestionadas, buzinaços, motoqueiros passando como flechas ao lado dos carros. Meu tio já estava querendo se matar, mas eu já estou habituado à matrix, dizendo para ele que tudo aquilo era normal. Ele me perguntou que horas eu chegava em casa, e respondi que geralmente saia do trabalho às 17:00h e chegava ás 20:00h, com sorte antes das 19:30h. Falei que muitas vezes preferia sair do trabalho e ficar em um bar até as 20:00h, somente para evitar o congestionamento da Raposo Tavares. Ele ficou horrorizado com aquilo, jogando fora literalmente horas de sua vida no trânsito.

Antes de chegar em casa ele parou num Habibs e pegou umas esfihas quando viu que eu estava chocado de ter perdido tanto tempo. Eu disse para ele bondosamente pra ir se acostumando caso tenha planos de mudar para São Paulo. Ele realmente achou bizarro eu achar que aquilo era aceitável.

Por isso que São Paulo está cheia de chefinhos e diretores estressados, porque é simplesmente impossível alguém ser feliz e chegando as 21h em casa pra sair as 5h da manhã.