Funcionários, um bairro funcional.

Antes de começar a destrinchar um dos bairros mais charmosos de BH, convém explicar o porque da região ter recebido um nome tão excêntrico: Funcionários.

No final do século XIX, a cidade histórica de Ouro Preto passava o título de sede do Governo Estadual de Minas Gerais para a recém-nascida Belo Horizonte, cidade que fora projetada justamente com o intuito de se tornar o centro do poder político do estado. Com a mudança, surgiu a necessidade de se construir um espaço na cidade no qual os funcionários públicos pudessem se instalar para viver. Assim então, em 1896, apenas dois anos após o início da construção da nova capital mineira, surgia a localidade que várias décadas depois viria a se tornar o bairro Funcionários.

Um fato curioso que vale a pena ser ressaltado é que a fachada das casas dos servidores públicos indicavam a qual nível hierárquico eles estavam inseridos. Residências com muitas janelas, que eram classificadas pela letra F, pertenciam a trabalhadores de alta patente, como diretores e desembargadores, enquanto os imóveis de classificação A possuíam moradores de baixa graduação, como pedreiros, por exemplo. A estimativa é de que foram construídas cerca de 200 casas para hospedar os novos moradores.

Anos mais tarde, principalmente a partir do anos 1980, seguindo os padrões da modernidade, os casarões históricos passaram a dar espaço a modernos edifícios, estes que são uma marca registrada do local. Mesmo assim, atualmente, ao caminhar pelo bairro, ainda é possível encontrar algumas construções de época que resistiram às mudanças do tempo.

Dito isso, vamos ao que interessa: as inúmeras atrações e peculiaridades do bairro.

Como já é sabido, o símbolo máximo do poder público mineiro faz parte do Funcionários, o Palácio da Liberdade, um dos prédios mais emblemáticos da cidade. O bacana é que o local abre para visitação todo último domingo do mês, das 8h30 às 13h. Se você sempre quis saber como é a antiga sede do governo de Minas Gerais interiormente e como é a decoração da casa, essa é a sua chance! O telefone para contato é (31) 32994068. É importante lembrar que o Governador atualmente cumpre suas funções no Palácio Tiradentes, estando o Palácio da Liberdade reservado a cerimônias solenes de transferência de mandato. Então, não crie expectativas de conseguir almoçar com o governador.

Logo à frente do palácio, está a Praça da Liberdade, ponto turístico de valor inestimável para Beagá. Além da beleza dos jardins, que foram inspirados no Palácio de Versalhes, o entorno do espaço é de uma importância visceral para a cena cultural da cidade, visto que é nele onde se encontram importantes museus, como o CCBB BH, o Memorial Minas Gerais Vale e o Museu das Minas e do Metal. Ou seja: além de uma praça de encher os olhos, ainda é possível usufruir de arte e cultura em um dos mais respeitados complexos culturais do estado.

Saindo do Centro Cultural Praça da Liberdade e descendo a Av. Brasil, chegamos à Praça Tiradentes, aonde é possível encontrar um famoso monumento: a estátua de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, mártir da Inconfidência Mineira. O espaço é legal, recomendado àqueles que querem dar uma descansada depois de um dia exaustivo de trabalho.

Seguindo pela Av. Brasil no sentido Santa Efigênia, nos deparamos com o Colégio Arnaldo. O interessante dessa instituição é que ela contou com alunos que anos depois de formarem-se se tornariam ilustres, como o mestre das palavras Carlos Drummond de Andrade e o renomado cirurgião plástico Ivo Pitanguy. Além disso, o colégio está do lado da Praça João Pessoa, na qual todos os sábados é realizada a já tradicional Feira Tom Jobim, marcada pelos expositores de antiguidades. Altamente recomendável a visita a essa feira se você gosta de objetos antigos de outras épocas, como relógios e móveis.

Deixando a tranquilidade de lado e partindo para o agito, saiba que o Funcionários dispõe de ótimos bares, alguns deles a preços totalmente acessíveis, ainda mais em tempos de crise, e casas noturnas. Um estabelecimento que merece destaque é o Sopa Carioca, carinhosamente apelidado por muitos frequentadores de ‘Skina’, por estar localizado na esquina entre Av. Brasil e rua Bernardo Guimarães. Os preços são camaradas e o ambiente é bem descontraído, contando também com televisores que exibem partidas de futebol tanto do Galo quanto do Cruzeiro. Se você queria curtir um boteco sem sair com a carteira sangrando, parabéns, acabou de encontrar!

Seguindo o circuito bares do Funcionários, sem dúvidas merece destaque o já consagrado ponto de encontro de fim de balada de muitos belo-horizontinos, o Rei do Pastel. Situado na esquina da rua Professor Morais com a Avenida do Contorno, o estabelecimento fornece aos destemidos guerreiros da madrugada um tremendo remédio contra a fome e a embriaguez: deliciosos pastéis feitos na hora, além de uma cerveja gelada. O custo-benefício daqui talvez seja a principal vantagem da visita ao local. Não vacile, experimente e aproveite.

Concluindo essa pincelada rápida pelo agitado entretenimento noturno do Funcionários, chegamos àquele que promete te fazer balançar a cabeça para frente e para trás freneticamente como um verdadeiro metaleiro: A Obra Bar Dançante. Com inúmeras referências à cultura do cinema e da música em sua decoração, a casa reserva ao visitante uma extensa cartilha de bandas e estilos musicais, desde Stoner Rock ao Soul, tornando-o uma ótima opção para quem quer dar uma chacoalhada no esqueleto. O bacana do local é que ele sintetiza bem o ambiente de rock de garagem, sendo que, logo na entrada no estabelecimento, uma escada leva o frequentador a um nível subterrâneo, aonde podem ser encontrados o palco e a pista de dança.

Apesar disso tudo, essas atrações compõem uma parcela ínfima do que é possível fazer no bairro. Tanto de dia quanto de noite, as opções de lazer são das mais variadas. Portanto, não dê bobeira, visite e divirta-se!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.