Sexta-feira

por amena brown

há perguntas que aguardam nas sombras

duvidas que espreitam ate que apaguemos a luz

e tentemos dormir

o tipo de desespero que forma uma mordaça em nossas bocas quando tentamos orar

A Pergunta

que tremula em nosso coração

abre seu caminho para fora de nossas gargantas e se paralisa no ar

como vapor — como um sopro quente encontrando o ar frio:

Deus, onde está você?

talvez eu não devesse te questionar

talvez eu não devesse duvidar de você, mas as vezes, eu duvido

as vezes a vida e a tragédia e a tristeza tornam mais difícil

acreditar em você

eu quero acreditar

mas as vezes, é muito difícil

então, onde está você agora?

quando eu choro, quando eu tento, quando eu quero entender o porque?

onde posso encontrar o seu silencio em meio ao barulho?

como faço para não confundir o seu silencio com o pensamento de que você não ouve a minha voz?

há perguntas que aguardam nas sombras

duvidas que espreitam ate que apaguemos a luz

e tentemos dormir