O que eu vi no Web Summit 2018, dia 4

Startups na abertura, dos temas mais genéricos. O comum é que praticamente todas possuem impactos globais. Dor em escala, solução em escala, pensamento grande. Aqui separei a que julguei mais interessante.

QuitGenius

Primeira plataforma mundial de terapia para parar de fumar. Business nichado, feito por especialistas (médicos) em um mercado de bilhões. Somente 30% dos fumantes tem sucesso em sua jornada de parada.

Rodando os stands e startups, chegando ao lado mais tech e conhecendo o computador quântico da IBM, esse “monstro”.

E esse computador aí é mais enfeite do que computador, só a parte inferior é que é o poder de processamento. É ali que ele chega a 0K (Kelvin) ou, na verdade a quase 0K pois não existe 0K na física, e isso acabei de aprender com esse cara abaixo.

Esse cara aí é uma das pessoas que você acaba fazendo relacionamento no evento. Um físico formado que trabalha na indústria têxtil criando sensores para teares circulares. Que coincidência! Sou de Blumenau, um polo têxtil, e conheço um português de Portugal, falando inglês e por fim ele é CEO de uma startup que possui como dono um brasileiro 🧐😅

Microsoft quantum machine

Vamos para a palestra de computação quântica. Para mim, 100% novidade, nunca estudei sobre isso.

Julie Love, Ph.D, quantum director na Microsoft.

Quem está preparado para essa revolução? Quem vai ser “disruptado”? Eu serei se eu nao me mexer, preciso estudar.

Se na computação tradicional o binário é padrão na quântica ele acontece ao mesmo tempo. Para mim ó 🤯

Computação quântica é exponencial: 20 qubits é 16Gb, 30 é 16Tb, 40 é 16Pb. Isso é irreal de compreender para quem estudou a computação tradicional.

Vale estudar mais, muito mais!

MS possui uma plataforma no Azure para pessoas assim como eu, talvez vocês, não estudiosos e físicos conhecedores profundos do tema.

a linguagem? QSharp 🤔

E agora, vamos conhecer mais startups expostas, que são diferentes das expostas nos outros dias. Essas visitas são riquíssimas. Vamos rodar e conhecer mais soluções, aqui vai uma lista do que julguei interessante:

No meio da rodada, encontrei um brasileiro fazendo um Pitch.

Pitch da DOM Rock, startup brasileira de AI and Data.

Final Pitch

Depois de 3 dias de pitches pelos pavilhões três finalistas chegaram. Alguma dúvida sobre o que elas usam?

Inteligência Artificial, é óbvio.

Duas delas com especialidades em computer vision e machine Learning, Wayve e lvl5. A outra, factmata, plataforma de colaboração com uso de machine Learning, falei dela esses dias atrás em um post sobre as fake news.

Machine Learning em foco.

E aqui, talvez seja a sacada do evento, levarei essa pra casa com carinho.

Time Ailos, em breve estou voltando. Preparem-se!

🚀🚀🚀🚀