Mindset #01 — Meritocracia vs. zona de conforto

Boa parte da população brasileira acredita ou se fez acreditar que a meritocracia é o sistema falido da recompensa. Você já parou para pensar como ela faz parte da nossa vida no dia-a-dia e que usufruímos do produto dela? Do porque você escolhe um lugar para comer ou quando você comemora a vitória do seu time, quando você fica feliz por ter comprado um carro novo pois trabalhou duro por isso?

Mas, você já reclamou por ter ganhado algum prêmio? Algum aumento no trabalho, alguma nota boa, algum campeonato ou por ter conquistado com seu próprio esforço? É o sistema meritocrata te fazendo mais feliz nessa vida.

É você cobrando meritocracia quando trabalha mais que uma pessoa de formação e experiência inferior a sua e este recebe mais do que você estando no mesmo cargo e na mesma empresa. Mas e se fosse o contrário, aceitaria ganhar menos para acabar com a desigualdade? Aceitaria de cabeça erguida pelos seus ideias o salário abaixado simplesmente porque odeia a meritocracia ou diria: “Cada um com seus problemas, resolve lá com eles”?

Seu produto ou serviço recebem elogios diariamente e com isso você ganhou mais clientes gerando pra você mais renda e com isso crescimento contínuo. Você vai dizer “Eu estou fazendo aqui meu melhor e está dando certo” ou vai dizer “Isso é injusto com os meus concorrentes”?

Mas se fosse o contrário, sua empresa perdendo pra uma com melhor produto ou serviço, você iria tentar evoluir para chegar no mesmo patamar não? Isso é a escada da meritocracia e competitividade econômica fazendo o seu serviço e produto melhor, já que os clientes estavam insatisfeitos com o que você oferece. Um exemplo atual são alguns taxis que ao invés de reclamarem passaram a melhorar o seu serviço para competir com Uber.

Quando fazemos um curso pra nos especializarmos esperando um salário melhor, reconhecimento e uma vida tão melhor e digna do que almejamos para o futuro pois não nos conformamos com com o básico, somos nós usando recursos da meritocracia pra subir os degraus.

Quando você diz “essa mulher é muito pra esse cara”, é você zé-povinhando o relacionamento alheio com discurso meritocrata, seja lá qual tópico de comparação você usou.

Seja pra benefícios pessoais como evolução, estudo, crescimento, lucro, o mundo só evoluiu e continua evoluindo por causa da meritocracia pois no final das contas, ninguém tem tempo pra fazer nada de graça hoje. Quando você se orgulha de um feito seu que outros não fizeram antes, isso é meritocracia, e se receber um prêmio por isso, viva a meritocracia.

Mas existe um preço por isso, a zona de conforto te fará odiar a meritocracia. Repudiará o processo de evolução da vida das pessoas quando você na verdade só vê o produto final, não o caminho percorrido. Acha que todas as pessoas hoje mais favorecidas já nasceram com vantagens, e que você é predestinado pois não nasceu com recursos suficientes pra produzir seus sonhos, não “nasceu com sorte”.

A verdade é que você ama a meritocracia, só anda com raiva dela porque não anda tendo um certo tipo de sorte. E como diz uma frase famosa de Thomas Jefferson: “Eu acredito demais na sorte. E tenho constatado que, quanto mais duro eu trabalho, mais sorte eu tenho”.

A sorte que você deseja ter na verdade é proporcional ao processo de evolução que trabalha com si mesmo. E por que você precisa entender isso? Porque essa é a engrenagem que move você e o mundo e quanto mais você souber aproveitar o processo melhor será o resultado. Aproveite o processo isso trás o foco automaticamente.

“Mas eu queria que tudo fosse mais fácil!”, quem nunca? Todos nós queremos. A questão é que uns exploram possibilidades de como tornar a vida mais fácil (proatividade) já outros preferem a segurança da zona de conforto com o kit incluso de emprego fixo, contas a pagar acumuladas, desejo de consumo sem freio, foco sempre no produto e não no processo. Esqueça um pouco do produto e foque no processo — no seu processo — e veja como as coisas mudam. Não ouvi falar de UMA só pessoa bem sucedida que fez por si mesmo que não tenha aproveitado e investido no processo visando apenas o produto final. Se duvida pode pesquisar.

Sem meritocracia não há evolução, não há pelo que trabalhar, evoluir nem lutar. Todos vivemos por ela seja por parte da sociedade ou de nós com e para nós mesmos e isso não quer dizer que ela seja a solução completa, pois quando reclamamos de algum dos exemplos citados acima estamos na verdade reclamando do não exercer dela. A meritocracia sempre vai existir dentro de nós, descubra a sua e suba seus degraus.

“Odeie o jogo, não o jogador”