Arte ou Trivial?

Noite clara. Vento entra pela fresta da janela e grita no meu quarto. Madrugada fria, menos do que eu gostaria. Copo longe, não alcanço sem me levantar. Observo tudo isso porque não consigo dormir, consequência da mudança de horário.

Parece um relato normal de uma noite, e é. Sempre achei, enquanto criança, que algum dia ia escrever um livro, poemas, contos; hoje percebo que o máximo que produzo são textos aleatórios aqui. Não são textos cheios de sentimentalidades, mensagens e narrativas poderosas, mas textos para relatar momentos. Acho que nunca escrevi nada porque sempre fui muito pretensioso em querer escrever uma história grandiosa ou um conto super intenso, mas na verdade escrever provavelmente é esvaziar minha cabeça de palavras para narrar um momento nem um pouco especial ou incrível. Escrever é desenhar com palavras um cenário que afaste o tédio.

O tédio se foi, e agora sobram apenas essas palavras amontoadas. E delas surge uma reflexão sobre o que acabei de produzir: Arte ou Trivial?

Like what you read? Give Guilherme Scroccaro a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.