Começando seu bar!

Olá! Benvindos à minha página. Passarei a postar aqui os meus textos sobre bebidas. Primeiro, “reeditarei” os textos que escrevi no meu próprio perfil do Facebook, agora melhor organizados.

Começarei este espaço falando justamente como se começar um bar em casa. Cada vez mais, amigos se encantam com a ideia de misturar gorós. Bela evolução! Por anos tive que ouvir argumentos esdrúxulos que apontavam a “mistura” de bebidas como a causa das ressacas. Curiosamente, ouvia isso através de pessoas que adoravam virar “xóts” de tequila de péssima qualidade com limãozinho e sal, acompanhados de cachaça vagabunda, gin esdrúxulo e pseudo-whisky.

Parabéns. Belas escolhas. Seu fígado é um sobrevivente.

Mas acho que o povo está caindo em si e preferindo beber melhor a beber “em excesso tal qual um cretino”. E muitos amigos me perguntam quais bebidas comprar para se fazer um bar razoável. Nada gigante, mas bem versátil.

Fiz então uma listinha. Segue abaixo:

1) SPIRITS

A língua inglesa chama os destilados principais de “spirits”.

GIN: provavelmente o destilado mais importante na coquetelaria, com MILHARES de drinks levando a bebida na composição. Gosto do Beefeater, do Tanqueray e do Gordon’s, dentre os mais fáceis de achar e não tão caros.

BOURBON: outra bebida importantíssima. Como moramos num país pouco superior à Antártida no mercado mundial dos destilados, a oferta de bourbons é miserável. Dos que chegam aqui, recomendo o Woodford Reserve e o Bulleit. Ambos levam centeio na composição, sendo mais secos que outros que levam mais milho, como o Wild Turkey e o Jim Beam. Estes dois também também acho bons, porém um pouco mais doces. O Maker’s Mark é caro mas é fantástico. Vai trigo no lugar do centeio… é mais delicado que os outros. Gosto muito.

VODKA: é um álcool que tende a ser mais neutro, diluido em água pra ficar potável. Não vejo muito sentido em gastar rios de dinheiro nisso. Mas gastar pouco também não recomendo. Nem o seu fígado.

Rum, Tequila e Cachaça também são fundamentais. Estão presentes em menos drinks. Scotch Whisky tb é importante. Mas ATENÇÃO: single malt, no geral, é pra se beber puro. Ainda mais com o custo dessas bebidas neste calabouço que é o Brasil.

2) VERMUTES

Vermutes são vinhos fortificados com infusões de uma porção de ervas. São muito utilizados em coquetéis. Manhattan, Dry Martini, Rabo de Galo e Negroni… todos estes levam vermutes em sua confecção. Os mais utilizados são o doce/rosso/tinto e o seco. O bianco doce é uma delícia, mas menos usado em drinks. Você até pode “substituir” o tinto pelo branco, mas geralmente altera bem o resultado final, tanto na cor quanto no sabor. E até mesmo os vermutes variam muito de sabor conforme as marcas. O vermute seco que chega por aqui é o adorável Noilly Prat. A oferta de rosso já é maior. Temos o Carpano Classico, o Cinzano italiano e o Miró espanhol. O Martini Rosso nacional não é ruim, mas é um vermute mais simples. Se quiser algo mais leve, tomar um vermute com club soda ou tônica é sempre bom.

3) BITTERS

Aqui em Lilliput temos uma oferta muito pobre de bitters. De fora, o único que chega é o famoso Angostura. Agora também chega a Angostura de laranja. Bitters são fundamentais para drinks como Old Fashioned e Pisco Sour, por exemplo. Bitters são bebidas com teor alcóolico bem elevado e com o sabor muito concentrado e amargo. A ideia é usar gotas e “dashes”… algo tipo “pitadas” de tempero. Lá fora, você tem de todos os tipos e sabores. O Laércio Zulu produz uns bitters bem bons. Começaram também a surgir outros de produção nacional… preciso experimentar.

4) LICORES

Aqui já fica mais complexo… muitos licores adoráveis, como Amarula e Baileys praticamente não são usados em drinks. Varia muito do gosto da criançada. Vou listar abaixo alguns que são razoavelmente bem usados na coquetelaria:

TRIPLE SEC (Cointreau) — licores de laranja mais secos, usados em drinks como Margarita ou Chanticleer

CAMPARI & CYNAR — ambos são amaros, licores criados a partir da infusão de uma infinidade de coisas, como ervas, asas de morcego e cascas de árvores. São usados em Rabo de Galo e Negroni, por exemplo. Campari tem mais laranja e Cynar, acreditem, tem alcachofra. E é uma delícia.

MARASCHINO — Licor de cereja, usado em drinks como Martinez, Daiquiri n°3 e o NY Minute (sempre sucesso aqui em casa)

Licor é o que não falta: St. Germain (licor de flor de sabugueiro), Bénédictine, Licor de Café, Chartreuse verde e amarelo, Cherry Heering, Strega, Galliano, Amaro Averna, Curaçao, Grand Marnier, Crème de Cacao, Crème de Menthe… todos estes são bastante usados. Acho que um ser humano normal pode escolher uns poucos a partir do próprio gosto. Detalhe: fuja da maioria dos licores baratos nacionais. Geralmente são doces demais, artificiais e enjoativos. Adoráveis exceções dessa regra são o Campari e o Cynar, ambos com ótimo preço.

5) QUE MAIS?

GELO: e MUITO gelo. Uns poucos drinks já demandam uma quantidade cretina de gelo. Ter fôrmas de gelo grande é bacana, pra não dizer fundamental.

FRUTAS: limão siciliano e tahiti são bem usados principalmente por causa do suco. Laranja bahia, aquela BEM laranja, também é muito usada por sua casca. Cereja maraschino em conserva e azeitona também são legais de se ter.

XAROPE SIMPLES: partes iguais de açúcar e água. Xarope é importante pois dilui muito mais fácil que o açúcar puro. E é fácil de se preparar… basta esquentar a água (não precisa ferver), RETIRAR do fogo, misturar com o açúcar até que ele se dissolva e colocar numa garrafinha.

FERRAMENTAS: coqueteleira, strainer, jiggers e uma colher bailarina. Copo mixer, para os drinks não batidos, também é legal… mas na falta você pode usar o próprio copo da coqueteleira ou uma jarra de suco. Até mesmo uma coqueteleira pode ser improvisada. Basta você ter um pote de geléia que já adianta… mas na hora de abrir, depois de bater, prepare-se: vai ser um puta desafio. Desrosquear a tampa com o vácuo… boa sorte

Quanto aos jiggers, sempre compre aqueles que vem com as medidas no lado de dentro. DRINK É PRA SE FAZER COM AS MEDIDAS CORRETAS!

É isso. Eis o básico do básico.

Boa sorte e boa bebedeira.