Vinte e dois.

Hoje eu estou completando vinte e dois anos de idade, e era pra eu estar feliz.
Mas esse ano não foi fácil. Há oito meses fui diagnosticado com uma doença que nunca sonhei em passar. E ela não tava sozinha, veio com uma antiga conhecida minha. Era só o prenúncio de um desastre eu já conhecia.

A anorexia e a depressão transformaram meu ano em uma escalada onde até agora eu não enxergo o topo. Elas me deixaram míope. Hoje eu não enxergo afeto, carinho, motivação. Elas deturpam tudo que acontece ao meu redor, tudo é menos feliz, menos alegre, meio apagado e tem um peso desproporcional. Não consigo criar, tiraram meu bom humor, meus hobbies e as pessoas ao meu redor, minhas noites de sono, minha saúde.

Não é fácil conviver com alguém que a saúde mental tá destruída. E nesse ano eu assisti a maioria dos meus amigos irem embora, como o ator de um monólogo medíocre observa a plateia se esvaziar do teatro no final de uma peça que ele sabe que é ruim, mas é obrigado a atuar pois não tem escolhas. Cabisbaixo e sem aplausos.

Toda vez que eu encontro alguém, ou saio com as pessoas, eu tento meu máximo fazer com que elas se sintam o oposto de como eu me sinto. Mas nem sempre é possível, o que me faz ficar cada vez mais em casa, isolado.

É uma tortura ter a sensação de que a companhia não tá sendo boa, de que a gente tá incomodando, dando trabalho, sendo ruim. E a vontade de desaparecer vai aumentando. A gente faz de tudo pra ir sumindo, pulando uma refeição de cada vez.

Todos os dias eu suprimi toda a dor e essa tempestade pra poder conviver com as outras pessoas e seguir o que se espera da normalidade. Hoje, no meu dia, eu resolvi colocar pra fora.

Eu sempre fui honesto com todos ao meu redor, e dessa vez não poderia ser diferente. Desculpa a todos pela franqueza, mas esse ano não irei comemorar nada.

Hoje, no meu aniversário, eu me sinto sozinho e no fundo do poço. Não é fácil completar vinte dois, quando a gente passou todos os dias, nos últimos meses, pensando (pelo menos uma vez por dia) em encerrar tudo aos vinte e um. Não pretendo receber piedade através desse texto, mas mostrar pra vocês que um sorriso pode esconder muitas coisas. Então, seja gentil, respeitoso, e cuide de quem você ama.

Se identificou com alguma passagem e acha que precisa de ajuda? Busque o CVV através do telefone 141, seus familiares e profissionais capacitados! ;)