O modista e o aproveitador

No Facebook, no grupo Apaixonados por Bull Terrier, acompanho uma epidemia de casos de abandono e maus tratos a cães da raça English Bull Terrier no Brasil.

Ainda no Facebook, os administradores da página Bull Terrier Rescue Brasil fazem um trabalho espetacular na recuperação da dignidade de cães que em algum momento das suas vidas, tiveram o azar de passar pelas mãos deles: o modista e o aproveitador.

O modista viu a Ricota Zanni e o Jimmy Choo e acharam “esta raça afuder”.

Não que eu culpe a Ricota ou o Jimmy pelo que está acontecendo, de maneira nenhuma! Todos ficamos orgulhosos ao ver nossa querida raça sendo promovida e adorada pelo seu carisma.

O oportunista, pensou que “em uma cria tiro 5 filhotes, vendo cada um a 500 conto e embolso 2 pau e pouco”.

O modista ouviu falar que a raça tem muita energia, mas “vai passear todos os dias com o filhote depois do trabalho”.

O oportunista, comprou uma cadela “que tem até pedigree”, como se pedigree atestasse algo a não ser que o criador encaminhou uns documentos ao Kennel Clube do Brasil e pagou umas taxas.

O modista “não vai pagar 3 mil por um cachorro”, mesmo com alguém alertando que criar um cão de raça de médio porte, custa caro.

Crédito: Bull Terrier Brasília

O oportunista ouviu falar que uma cruza mal estudada pode gerar filhotes fora do padrão da raça, com doenças incuráveis de pele, coração e de rins, além de problemas de temperamento. Mas, estudar genética está fora dos planos.

A consolidação do problema ocorre quando o modista encontra o anúncio do aproveitador, eles trocam alguns “zap” e em seguida fecham negócio.

A cadela do aproveitador teve problemas no parto, foi necessário fazer uma cesárea, que custou em torno de R$ 1.200 e um dos cinco filhotes morreu nos primeiros dias de vida.

Muito antes do desmame, o filhote produzido pelo aproveitador estará na casa do modista.

O aproveitador está apavorado por dinheiro.

O modista está impaciente, não pesquisou sobre a raça, só agora ficou sabendo que o filhote vai quebrar tudo, comer tudo e engolir tudo dentro de casa.

Estes bobalhões não tem noção da força que tem.

O aproveitador vendeu o último filhote por R$ 250, pois, “não podia ficar no prejú”.

O filhote do modista precisou ser operado às pressas para retirar um corpo estranho do intestino.

O aproveitador arranjou “um macho lindo para cobrir minha cadela”.

A foto do cão do modista está em um post de abandono no Facebook.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.