5 esportes para aumentar a audiência das olimpíadas

Vi esses dias que a SporTV terá 16 canais durante a disputa dos jogos olímpicos. Mas será que tem esporte suficiente pra preencher toda essa grade? E mais importante: será que tem tanto esporte que o Brasil tem chance de levar medalha? Porque sabemos muito bem que brasileiro não gosta de esporte, brasileiro gosta de ganhar.

Pra tentar resolver esse possível problema de audiência, proponho uma mudança retirando alguns esportes que o Brasil não tem chance (e que não vão despertar interesse dos telespectadores) para outros onde seríamos favoritos. Segue o jogo:

  1. Sai a Ginástica Rítmica, entra a Dança dos Famosos

Não tem coisa mais sem graça do que ver aquelas meninas de dez anos chacoalhando uns bambolês. Parece que você está assistindo alguma apresentação do colégio do seu priminho.

Já que é pra ter algum esporte com música, vamos com o já consagrado Dança dos Famosos. O quadro já é sucesso há 12 temporadas, uma edição olímpica é uma sequência natural. E além de tudo junta as duas maiores paixões do brasileiro: dança e (sub) celebridades.

Favoritos para o Ouro: A dupla Fernanda Souza e Alexandre Porcel, provavelmente dançando uma música do Thiaguinho.

2. Sai o Tiro Olímpico, entra o Concurso de Textões

Já começa o mau gosto ter um esporte com armas, ninguém quer ficar com cara de eleitor do Bolsonaro e acompanhar essa competição. No lugar dela, entra um tiro ao alvo mais certeiro: o textão.

O Textão é, atualmente, o maior esporte nacional com mais praticantes que futebol, vôlei ou basquete. Milhões de amadores mostram seu talento todos os dias no facebook. Nesta modalidade eu apostaria em um pódio todo brasileiro.

Favoritos para o Ouro: Tiko Santa Cruz ou Pablo Villaça.

3. Sai o Pentatlo Moderno, entra a Ponte do Rio Que Cai

Aposto que você não faz ideia do que seja o pentatlo moderno. Ele data das primeiras olimpíadas e tinha o objetivo de determinar o atleta mais completo, por englobar hipismo, esgrima, natação, tiro esportivo e corrida em uma prova. Mas se é pra mostrar ecletismo, por que não apostar na Ponte do Rio Que Cai?

Nesse clássico das Olimpíadas do Faustão™ o competidor deve ter equilíbrio, velocidade, agilidade e perspicácia para atravessar uma ponte instável, além de ter que escapar do temido canhoneiro, que dispara incessantemente bolas de borracha. Isso tudo carregando uma bola de basquete. Se superar esse desafio não mostra quem é o mais completo dos atletas…Bônus: a narração do evento pode ser feita pelo Fausto Silva.

Favoritos para ouro: A competição está em aberto, mas o pódio será totalmente nosso, com toda a certeza.

4. Sai Badminton, entra o Futevôlei

Um esporte que usa uma peteca? Sério? Nada mais certo do que retirar o Badminton do programa olimpíco e adicionar o mais brasileiro dos esportes: o Futevôlei.

Esse é o mais fácil de defender, nem vou me alongar muito: estamos no Rio, cacete.

Favoritos para ouro: A dupla bad boy Romário/Edmundo

5. Sai o Hóquei Sobre Grama, entra a Roleta de Festa Junina

Hóquei Sobre Grama é aquele esporte que você só sabe que existe durante os jogos olímpicos. No gelo, OK, já vi na ESPN. De patins, tudo bem, conheço até quem jogue. Mas, na grama? E o pior de tudo: parece que a Argentina tem equipes fortes no feminino e masculino. Vamos chutar isso logo e colocar tradição na mesa: Roleta de Festa Junina.

Quem já foi a uma festa junina, quermesse ou semelhante já se divertiu apostando dois reais nesse tipo de esporte. Clássicos como Times Paulistas x Times Cariocas fizeram gerações inteiras vibrar. Se o formato da certo no Roda a Roda Jequiti, não tem como dar errado nas olimpíadas.

Favoritos para ouro: Bem, a roleta é uma caixinha de surpresas. Essa fica em aberto.

>

Com essas dicas, garanto um aumento significativo de audiência ou sua tocha olimpíca de volta na próxima edição dos jogos. REPASSEM ATÉ CHEGAR NO BONINHO.

Like what you read? Give Gustavo Ricci a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.