Memecracia é a única solução política possível.

“Se está na internet é verdade” Sabedoria Popular

Se democracia funcionasse, Jesus teria sido liberado e Barrabás, crucificado. Você até pode concordar com o Churchill que a democracia é o pior forma de governo, fora todas as outras. Isso porque ainda não existia uma alternativa viável. E a internet brasileira, como sempre salvando o dia, nos traz a saída: a MEMECRACIA.

Nosso moleton jamais será vermelho.

Na verdade, ela já vem sendo aplicada a tempos. Os últimos acontecimentos políticos no país, mostram que já somos politicamente guiados pelos MEMES. Nos falta abraçar essa solução e sermos felizes. Você está pronto?

Indícios de que a Memecracia já existe.

1. As decisões judiciais parecem saídas de um grupo de whatsapp

O juiz estrela maior da operação lava-jato não tem pudores em agir como um tio do grupo de família do zap. As suas decisões são baseadas em especulações que fazem o autor do texto “se vocês soubessem ficariam enojados” enojado. A sua interpretação dos acontecimentos parece ter saído da fanpage dos Revoltados Online. E, claro, não faltam as citações apócrifas e confusão com nome de autores famosos.

Tipo isso.

2. As discussões políticas são na base dos bordões

A presidente é a Coração Valente. O ex-presidente Lullarápio. Qualquer discussão é reduzida a um vocabulário menor do que o do MC Champions, com “lacrou”, “mortadela” entre outros termos. Quando o líder de oposição se pronuncia ele manda logo um: “É inaceitável o que está acontecendo” e lança um bordão instantâneo.

Praça é Nossa, a maior criadora de bordões do Brasil sempre influenciando nossos rumos políticos.

3. As redes sociais repercutem tanto quanto a notícia em si

O que acontece já não tem mais importância. O que vale é como a internet reagiu. Quais serão as montagens que virão depois do último escândalo? Como o facebook foi à loucura com a última lista da delação? Qual hashtag chegou aos trend topics, a favor ou contra o governo? O buzzfeed é, definitivamente, o nosso The New York Times.

Câmera em mim.

4. As notícias mais compartilhadas são de sites que beiram o sensacionalista

Que a grande mídia está enviesada de um jeito surreal é fato consumado. Mas a galera não precisa apelar. O que você mais vê na sua timeline são “artigos” de veículos confiáveis como Diário do Centro do Mundo, Brasil247, Folha Política e Revista Veja. Isso quando não compartilham o próprio Sensacionalista ou o Blog do Joselito achando ser verdade. Não há limites.

5. O Bolsonaro

Como instaurar a Memecracia de fato?

A Memecracia será operada, obviamente, através de uma rede social. Depois de nos livrarmos desse regime democrático antiquado, pediremos para todos os brasileiros se cadastrarem nessa nova plataforma.

Ao entrar na rede, o cidadão escolhe sua orientação política em um espectro que vai de extrema-esquerda até o Bolsonaro. De acordo com a escolha, a pessoa será agrupada em um clã. Os clãs (de cores diferentes que vão do Vermelho ao Azul) então duelarão através de textões durante uma semana. Ao final do período, o Clã que tiver mais likes em seus textos escolherá o governante do país até a próxima semana.

Interface ainda em estudos.

É claro, que durante a semana, podem acontecer alguns impeachments, bastando apenas que alguma matéria da Veja chegue a um número de compartilhamentos equivalente à 1% da população brasileira.

Se existir uma melhor forma de governo, por favor, me avisem. Vai que é sua, amigo internauta.


Ajude a espalhar a Memecracia por aí, recomende o texto para os amiguinhos.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Gustavo Ricci’s story.