Você sabe que não dou tiro n´água !

Bom… começo esse conto despretensiosamente enquanto tenho o ócio de meu estágio de conclusão de curso, vomito nesse texto, um pouco de minha confusão mental cotidiana, porque dentro do mesmo dia penso em fazer um Rap, penso em fazer pós graduação, penso em ficar trampando de boas e ganhar um dinheiro, penso em voltar pra casa e falar para os meus pais que sou aquele vagabundo que eles nunca acharam que eu fosse.

- Eu: Pai…. Pega o controle da televisão para mim

- Meu pai: Filho… (enquanto me passa o controle), nada de notícia de emprego?

- Eu: pai você sabe que não dou tiro na agua, essas coisas são assim, demoram.

E assim passaria um ano, eu engordaria dez Kg e escutaria pelo menos 50 vezes a discografia do Pink Floyd nesse tempo. Nada mal, não? Mas, continuo aqui no estágio, sem saco, porque não tomei café e esqueci de trazer a banana que eu costumo comer todo dia (Perceba que não é tão diferente assim de estar jogado no sofá de casa).

A ideia de começar a escrever esse texto pode partir de uma falta imensa que estou sentindo de ser mais agressivo, representar mais minhas ideias, mudar meu visual, “ter mais a minha cara”, afinal, desde que criei cabelo na cabeça, uso meu cabelo do mesmo jeito, roupas sempre apagadas. EU QUERO MUDAR! e também com igualmente força quero conciliar tudo na minha vida, Morar em um lugar legal, estar mais próximo da minha família, ter a minha namorada perto de mim, expressar minhas ideias à minha maneira e parar de me reprimir frente ao que irão dizer ou a quanta repressão irei sofrer, entende?( até ai caro leitor, você pensa : beleza, só você e todo mundo quer isso) e ai reflito: Cara ! , por que tão poucas pessoas fazem isso? o que há de complicado? e também não chego à conclusão nenhuma (Agora sei por quê !).

Se você leu até aqui já deve ter pensado (que texto confuso cara, você precisa melhorar essa escrita, como quer que alguém leia isso?) Ah! na moral, eu também pensava isso até 30 minutos atrás, então não me venha desencorajar agora, entende, dê força, motive, No próximo eu prometo que vou melhorar, pode ser? Só não me dê motivo pra desistir mais uma vez de começar a escrever o que estou sentindo agora, beleza?
 
 Forte abraço!