Stay hungry, stay foolish

“Permaneça faminto. Permaneça tolo.”

Projetos de design gráfico, sejam eles identidades visuais, catálogos, pôsteres, panfletos ou illustrações, exigem imersão total no universo do cliente e consequentemente no universo do seu próprio negócio.

Eu tenho clientes de diversos ramos, saúde, móveis artesanais, móveis industriais, móveis infantis, fotografia, sorveteria, jornalismo, festas, pintura, cervejaria, organizer e por aí vai infinitamente.

A pergunta que mais ouço dos designers bem mais iniciantes do que eu, é “Como você consegue trabalhar com clientes de ramos tão distintos?” e a resposta, espero que você encontre no final dessa publicação, mas já adianto que exige um grande esforço diário e uma boa dose de procrastinação.

PROCRASTINAÇÃO?

Alguns profissionais dizem que a procrastinação vem quando o profissional está fazendo um trabalho que não gostaria de fazer, por vários motivos, sejam eles, má remuneração, tema do qual não se interessa, desavenças criativas etc. E a procrastinação pode sim vir dessa forma, esta seria a BAD PROCRASTINATION, um mal que precisa de aplicativos de celular para te manter focado no trabalho que te sustenta e paga suas contas, deixando de lado aquilo que realmente te faz feliz e te trás prazer.

Eu defendo a GOOD PROCRASTINATION, esta que também deve ser dosada, mas que na maioria das vezes te proporcionar o pensar fora da caixa, encontrar soluções em lugares que você e ninguém não imaginaria que estivesse, isso é inovação e originalidade. A procrastinação boa pode te levar até onde o seus mestres não foram e além disso, criar um estilo e um método para deixar seu trabalho mais marcante e cada vez melhor.

Considero a minha forma de procrastinação extremamente importante para o desenvolvimento dos projetos que eu estou inserido no momento e também projetos futuros. É importante que seja dito: procrastinação é diferente de vagabundagem e preguiça.

E COMO É QUE A MINHA PROCRASTINAÇÃO FUNCIONA?

A minha forma de trabalho durante a semana é relativamente livre e experimental.

Há manhãs que acordo e nem tomo café, já vou para o o computador e o à folha em branco, dou logo um jeito de começar a lançar ideias, escrever, desenhar, colar post it pra todo lado, depois tomo o meu café e volto tranquilo a fazer outra coisa, vou ver um vídeo, vou rolar timeline do facebook ou de sites de inspiração.

Após alguns minutos volto ao trabalho e esse processo vai se dando durante todo o dia, para quem trabalha com criação, o abastecimento de conteúdo é um fazer diário, se o profissional não alimenta o seu apetite criativo, ele vai morrendo junto da capacidade de adequação a projetos de diversas áreas.

Se você é designer e não acorda vendo sites de referências e notícias sobre cultura pop como filmes, livros e comerciais, na minha humilde opinião, algo está errado.

INSIGHTS

A capacidade de saber procrastinar é essencial para conseguir bons insights durante a sua carreira.

Seja curioso, veja tudo, não restrinja o conteúdo e trabalhe.

Leia, escreva, veja, aprenda, trabalhe. (repeat)

AÇÃO

De nada adiante você alimentar essa chama da criação e não fazer nada com todo esse repertório e conhecimento adquirido diariamente.

Crie projetos pessoais baseados em projetos que você já viu, faça as mudanças necessárias para que ele mostre o seu estilo, conceitue-o, conte uma história sobre o motivo do projeto, planeje-o, deixe ele que sofra modificações com o tempo, permita-se mudar de ideia e desistir para recomeçar.

Saia da sua zona de conforto, tente outras técnicas, consiga opiniões (mas cuidado! nem todos estão preparados para opinar, alguém pode te desmotivar, antes mesmo do seu projeto começar), e não tenha vergonha de compartilhar seu trabalho na internet por considerar ruim quando comparado a artistas que te inspiram.

Calma, eles também já foram como você.

Aprenda algo novo todos os dias, mantenha-se humilde e não desista.

É isso!

“STAY HUNGRY. STAY FOOLISH”

Originalmente publicado em BLOOOOOG.

Gustavo Estevão é designer gráfico com foco em desenvolvimento de marcas. Atualmente trabalha como freelancer, nas horas vagas ele come livros.