Como eu costumava aos dezesseis

Eram cinquenta mil folhas

Cinquenta mil dores

Como eu costumava aos dezesseis?

Hoje, é tão diferente

Aqui estou eu, no meio de tanta gente

Vazio sem fim, olhar sem "mim"

Caem as máscaras aos montes

Ser e não ser, que tanto produz

Alguém que seduz

Nada me paga aqueles olhares

Nada me leva de volta aqueles mares

Eu pensava aos meus dezesseis

Que uma flor teria mais significados

Que eu teria ainda mais predicados

As singelas tentativas de amar

Hoje, mal é possível navegar

As artes do ontem, mal cabem no papel

Minhas cores, mal se apegam ao pincel

Vejo, ainda assim, tudo por telas

Ou por elas

Desmorona pouco a pouco nossas ambições

Sim, são elas, as emoções

Um singelo apelo aos corações

--

--