Quando fazer empréstimo? Descubra a hora certa!

E ai, como está o controle de seu orçamento doméstico?

Suas contas estão todas em dia?

Ter cuidado com o consumo em excesso faz parte de um bom controle financeiro, porém, uma despesa de emergência pode acontecer ou mesmo a falta de organização pode fazer com que as dívidas saiam de seu controle e é ai que cogita pegar um empréstimo para acabar com essas contas, certo?

Mas, será que esse é o momento certo para você emprestar dinheiro? Será essa a melhor solução? A resposta é: depende!

Na maioria dos casos, um empréstimo pode ser uma boa alternativa para você reorganizar sua vida financeira mas é preciso que estude e analise todas as opções antes de tomar qualquer ação.

A idéia desse texto é fazer com que você saiba quando emprestar dinheiro é a melhor saída. Vamos lá:

Entenda sua dívida

Esse é o primeiro passo.

Saiba qual é a situação das dívidas que pretende pagar ao fazer empréstimo. Para fazer isso, você deve calcular o valor total delas, incluindo taxas de juros e possíveis encargos.

Por exemplo, você tem uma dívida de 1500 reais no cartão de crédito. Usando como base as taxas e encargos do rotativo do cartão de crédito praticados no mercado, serão acrescentados ao valor total 10% de juros de rotativos ( R$ 150) + 2% (ao mês) de multa por atraso ( R$ 30) + 1% (ao mês) de juros de mora ( R$ 15). Então, sua dívida na verdade, depois do atraso, é de R$ 1500 + R$ 195 = R$ 1.695. E essa dívida só cresce caso não pague o total dessa fatura.

Beleza, agora você sabe que calcular o valor real da sua dívida é o primeiro passo, então vamos para a segunda etapa.

Pesquisar formas de empréstimo

Vá até seu banco e veja quais as linhas de crédito disponíveis para o seu perfil, não feche negócio sem antes pesquisar em outras instituições financeiras quais as melhores condições e menores taxas de juros oferecidas para você.

Os empréstimos mais comuns como o crédito pessoal e o consignado (descontado em folha de pagamento) são modalidades que possuem menores taxas de juros que o rotativo do cartão de crédito e cheque especial por exemplo.

Crédito pessoal é mais simples de conseguir, mas normalmente possui taxas de juros mais altas que o crédito consignado.

O importante nesse momento é “gastar a sola do sapato” atrás de todas as possibilidades disponíveis para o seu perfil e encontrar as melhores condições, formas de parcelamento e de contrato (aqueles com menores encargos).

Compare os valores

Esse é o terceiro passo para saber quando é a hora certa de emprestar dinheiro.

Após reunir todas essas informações, chegou a hora de comparar os valores de dívida e de empréstimo. Vamos supor que sua dívida no cartão tenha taxas de 15% ao mês e a taxa de juros do crédito consignado é de 2,5%, nesse caso vale a pena fazer o empréstimo, pois estará trocando uma dívida “cara” por uma dívida “barata” entende? Além de pagar parcelas que cabem no seu bolso.

Já falamos nesse post sobre a importância de você ter uma reserva financeira para emergências, assim você poderá evitar imprevistos com emergências e dependendo da situação poderá “emprestar” para si mesmo esse dinheiro e fugir de dívidas caras.

Uma dica final que dou é: Fuja das dívidas de cartão de crédito e cheque especial pois essas podem ser grandes vilãs para suas finanças e podem acabar se tornando uma bola de neve das suas dívidas já que elas tem as maiores taxas de juros praticadas no mercado.

Gostou desse post? Pode ser que essa informação seja útil pra eles também, nos ajude a divulgar essa informação compartilhando com seus amigos =)

Até a próxima!

Originally published at meubolsoazul.com.br on March 27, 2017.