Gustavo Ramos

Kafkiano: empreendedor, baterista, bonsaísta, libertário, bem humorado, viciado em tecnologia, música, literatura, notícias, tendências, psicanálise e gente.


Além de toda a barbaridade do ponto de vista profissional — no qual concordo integralmente com você — o valor pago pela “criação” é um absurdo.

Em nenhuma república séria isso passaria batido. Os absurdos estão ficando banais. O risco imenso que corremos como nação e sociedade é adquirir o trágico feito de não nos surpreender com mais nada.

Isso sim é desumano.


O ato falho de Bendine


Em entrevista ao O Globo, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, disse nas entrelinhas que o balanço divulgado pela estatal pode não ter contabilizado todas as perdas com a corrupção.


Como check-ins estão mudando as novas lojas físicas


Pesquisadores da Universidade de Cambridge relacionam dados de check-ins podem ajudar empresas a escolher a melhor localização para…


O nascimento de uma palavra

Uma pesquisa fascinante e riquíssima em dados, com profundas implicações sobre a maneira como aprendemos.


A reação da Sony

Foi avassalador. Assim que anunciado o preço do PlayStation 4 no Brasil, uma avalanche de críticas começou na internet. Pensei que isso daria um bom artifício para, muito rapidamente, nos fazermos algumas perguntas. (se ainda não está totalmente por dentro da história, leia esse resumo)

Com o ocorrido, a Esentia detectou que a expressão “absurdo” foi a mais…


Sempre é possível inovar

Ainda mais quando se observa a real necessidade das pessoas.

Design do machado é reformulado pela primeira vez em milhares de anos.


O mal estar do brasileiro

Como os populistas subvertem a realidade, perpetuam a pobreza e condenam uma sociedade ao colapso.


“O clichê conforta os medíocres enquanto protege os covardes.”

Marcello Serpa: a mídia social acabou e o viral morreu. Criativo lança seu olhar crítico sobre o passado e o futuro da…


Eu achei prático…. rs


Liberdade

“A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, pois liberdade envolve responsabilidade, e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade.”
Sigmund Freud

Talvez nesta frase resida a mais profunda emoção para tantos defenderem o Estado Provedor.