As palavras: crocodilas

As boas palavras me remetem à natureza animal. Poderia compará-las aos rouxinóis, bem-te-vis (que por sinal são capazes de pronunciar suas sílabas) ou aos papagaios (repetidores), mas não. Creio que sejam répteis, primas das crocodilas. Isso mesmo, as palavras, institivamente, são quase crocodilas.

Com a mordida mais potente do reino animal, em um único golpe, a crocodila é capaz de destruir qualquer que seja a vítima. Por outro lado, com a mesma abocanhada ela é capaz de abrigar seus rebentos, na fase que eles ainda não são capazes de se locomoverem sozinhos. Destruição, força, ternura e proteção, coisas típicas das palavras. As palavras são exatamente assim: potentes, a ponto de romper, e ternas, necessárias para amar e proteger.

Outra característica típica comum entre crocodilas e palavras é a capacidade de ficarem submersas durante longos períodos. Mais belas são as palavras que ficam lá, escondidinhas em algum lugar, esperando o momento certo para atacar. Provocadas pelo mínimo estímulo, são capazes de um efeito devastador. Nenhuma palavra precisa ser antes do momento exato.

Esses seres têm mais coisas em comum. A começar pelo fato de habitarem a Terra há muito tempo. Os répteis estão há mais tempo, 83,5 milhões de anos, mas os 6 mil anos das palavras já as conformam como uma senhora de respeito.

E não para por aí. Ambos são ectotérmicos, ou seja, regulam suas temperaturas conforme o ambiente. Grite “Palmeiras” em meio à torcida do Corinthians e comprove como o calor da palavra aumentará a partir do ambiente externo. Em outras crocodilas (ops, palavras), o contexto é o que define o sentido (temperatura) do que é dito.

A pele resistente dos répteis são como uma boa coesão textual, um entrelaçamento firme que impede qualquer invasão, como uma boa ideia.

São semelhantes até por serem poliofiodontes, ou seja, trocam de dentes várias vezes durante a vida. A palavra farmácia, por exemplo, já trocou de letras. O “F” já foi um “PH”, em certa época, e isso não é caso único. As letras são como os dentes, que precisam ser renovados para continuarem mordendo.

Porém, nem tudo são flores nessa relação, crocodilos (ou crocodilas) e palavras são os únicos seres capazes de promover a crocodilagem. As palavras são traiçoeiras seus parentes não são diferentes. Fora isso, são dois belos animais.