Estou a interromper?

Num mundo em que tudo está em, e na rede, o importante é estar conectado à sua rede.

Texto original publicado no blog da Emete.

Interrupções. Haverá algo pior para a concentração de uma pessoa quando está a fazer uma determinada tarefa?

Sem dúvida é um factor que, a meu ver, nos dias de hoje, é um grande problema para a produtividade e criatividade dos recursos de uma empresa, para não mencionar a parte financeira.

Muito na moda estão os espaços abertos (“open spaces”), de forma a manter os colaboradores mais unidos e em sintonia com aquilo que estão a fazer, mas de certo modo o que estão a fazer é a interromperem-se uns aos outros, não a trabalhar em equipa. O facto de colocar as pessoas num “open space”, cria a tentação de comunicar e socializar, pois temos ali alguém com quem podemos e devemos falar. Logo, mais oportunidades para haver interrupções.

Consciencia das pessoas do impacto da interrupção, e minimizar as oportunidades de haver interrupções, é algo a que nos devemos focar, e aí sim, devemos partilhar.

Mesmo em situações em que num espaço estejam só duas pessoas, se uma delas não tiver a consciência do impacto que tem uma interrupção, os dois serão afectos com o mesmo sintoma.

No meu caso, na àrea de desenvolvimento web, uma àrea em que a criatividade está presente todos os dias e em todas as situações, é importante dar às pessoas um espaço de tempo, e até mesmo um espaço físico, para elas “viajarem” nos seus pensamentos, ideias e alinharem o seu raciocionio para uma determinada situação.

Um mundo em que hoje em dia tudo está online, tudo colabora e em que tudo é muito social e muito partilhado, o melhor é mesmo colocar um travão a essa avalanche de informação, quero dizer, interrupção, e focar-mo-nos nas nossas tarefas e nos nossos desafios, só depois do termino da nossa tarefa é que a podemos partilhar.

Num mundo em que tudo está em, e na rede, o importante é estar conectado à sua rede.

Henrique

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.