Tudo que você precisa saber sobre o Hack Town 2017

O que é o Hack Town?

É um festival de inovação e criatividade que une palestras, workshops e outras atividades com o lema Ideias Diferentes, Conexões de Impacto. São 3 festivais em um: Tecnologia e Design, Startups e Negócios, Cultura e Entretenimento. Em 4 dias, o Hack Town reúne o que há de mais inovador no campo da tecnologia, do empreendedorismo e das artes. E com um só ingresso, você tem acesso a tudo.

Dessa forma, pessoas de áreas diferentes se conectam em torno de temas distintos para se inspirar, enxergar novos pontos de vista, fazer conexões criativas e construir networking de uma forma muito mais intensa do que em eventos tradicionais. Vale conferir esta matéria para mais detalhes.

Na edição 2016 o público foi de mais de 1.500 pessoas, vindas de cerca de 100 cidades de 15 estados diferentes. Em 2017, a expectativa é de 2.500 participantes em Santa Rita do Sapucaí, MG (220 km de São Paulo).

A edição 2017 é a terceira, e acontece no feriado prolongado de 7 de setembro (dias 07, 08, 09 e 10), de quinta a domingo.

Os ingressos já estão a venda pelo site oficial: www.hacktown.com.br

Como funciona o Hack Town?

Na prática serão atividades rolando simultaneamente em locais inusitados do centro da pequena Santa Rita do Sapucaí, MG, como bares, restaurante e salas de aula — todos em distância para percorrer a pé, facilitando a conexão com pessoas. Você escolhe o que quer ver. E o que abriu mão, vira assunto para trocar ideia com pessoas que você ainda não conhece. Além disso, o diálogo com a cidade e a imersão em um uma cidadezinha tão inusitada, tornam a experiência única.

“Embora assumidamente inspirados pelo SXSW, o Hack Town pode e tem potencial para ser um festival muito mais interessante que o festival texano.”

>>> Review do Projeto Pulso, principal publicação do país sobre festivais, sobre a edição 2016.

Também pelo Projeto Pulso, o Hack Town foi indicado no guia com 76 festivais no mundo todo que dialogam com movimentos contemporâneos como sustentabilidade, representatividade, fetichismo futurista, educação informal, espiritualidade e consumo de experiências. O evento foi destaque na categoria Edu Festivals, ao lado de eventos incríveis como SXSW (EUA), NXNE (Canadá), KIKK (Bélgica), WebSummit (Portugal) e Re:publica (Alemanha). Você pode baixar o report completo em https://goo.gl/TJijCG

Os ingressos para a edição 2017 do Hack Town já estão a venda pelo site oficial: www.hacktown.com.br

Por que Santa Rita do Sapucaí?

Além de uma localização bem interessante (cerca de 220 km de São Paulo, 400 km do Rio de Janeiro e 430 km de Belo Horizonte), é uma cidade singular. Tem apenas 40 mil habitantes, ambiente e aparência de cidade do interior de Minas. Ao mesmo tempo, é um polo tecnológico com mais de 150 empresas de tecnologia, faculdades de alto nível (como o Inatel–praticamente um MIT brasileiro), é lar de gente de toda parte do mundo, além de estar se transformando em um polo criativo.

Vale também conferir o texto Por que o Hack Town acontece em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas Gerais?, no nosso Medium. E a resenha de um participante da segunda edição, aqui.

Além disso, há vários passeios possíveis de serem feitos em uma região presenteada pela natureza e de forte tradição, conforme indicado neste texto do Inova SRS.

O que vai rolar no Hack Town 2017?

Ao todos serão mais de 250 atividades envolvendo palestras, debates, workshops, showcases de bandas independentes e atividades experienciais. No site do Hack Town (www.hacktown.com.br), você já pode conferir as mais de 100 atividades e palestrantes que já foram anunciados.

A divisão dos dias é a seguinte: (os detalhes da grade serão anunciados no início de agosto)

07/09: abertura, com palestras simultâneas no INATEL, a partir das 19:00. >>> Para o período da tarde, atividades paralelas realizadas em parceria com marcas serão anunciadas no início de agosto.

08/09: Festa matinal Wake + Palestras e atividades durante o dia todo.

10/09: Workshops no período da manhã e da tarde.

As palestras e atividades oficiais acontecerão em locais diferentes de 3 núcleos: Praça Santa Rita, ETE FMC e Inatel.

Haverá também uma série de atividades paralelas não-oficiais, como feirinhas gastronômicas, happy hours, meetups, festas e até mesmo pequenos shows que pretendem apresentar a forte cena regional de Rock aos visitantes. Tudo organizado por terceiros, coisas naturais da própria cidade.

Os ingressos para a edição 2017 do Hack Town já estão a venda pelo site oficial: www.hacktown.com.br

Principais palestrantes já anunciados:

Confira a lista completa em http://hacktown.com.br/palestrantes-2017/

Hack Town Tecnologia e Design

Revolução Tech:

Inteligência Artificial, Blockchain, VR/AR, BigData, Computação Cognitiva, Grafeno, Privacidade, Internet das Coisas, Drones, Bitcoin, Smart Cities, entre outros.

Alguns palestrantes: Courtnay Guimarães (Blockchain Academy), Sérgio Gama (IBM), Cecília de Carvalho Silva (MackGraphe / Mackenzie, Antonio Marcos Alberti (NovaGenesis / Inatel), Luis Prado (Opice Blum), Carl Amorim (Blockchain Research Institute), Rafael Pizzi (Agrosmart), etc.

Comportamento e Tendências:

Realidades Sobrepostas, Cultura Maker, Antropologia para Tecnologia, Comportamentos Emergentes, entre outros.

Alguns palestrantes: Ana Cortat ( Hybrid CoLab — New Behaviour Driven / ex-execuativa de planejamento na Leo Burnett, Isobar, Africa e Pereira & O’Dell), Heloísa Neves (We Fab), Carol Zatorre (Antropóloga). Evilásio Miranda (NellyRodi), etc.

Inovação em Marketing e Branding:

Diversidade, Breaking Good, Community Management, Growth Hacking, Inbound Marketing, VR 360 para entender o consumidor, Comunicação com Propósito, Chatbots, entre outros.

Alguns palestrantes: Nataly Bonato (WeWork / Ex-Community Manager no AirBnB), Bruno Delfino (Google Brasil), Max Nolan Shen (Dervish), Luciana Bazanella (FGV), Caco Baptista Antonio (Mutato), Jader Crivelaro (Sunset), Rodrigo Terra (Fazenda Urbana), etc.

Design e UX:

Teste A/B, Computação Afetiva, Data Visualization, Métricas e Data Science, UX para Internet das Coisas, Inovação Possível, Prototipação, entre outros.

Alguns palestrantes: Erico Fileno (VISA), Paulo Emediato (DesignThinkers), Mila Motomura (Moom), Willian Grillo (C.E.S.A.R), Luis Prado (Opice Blum). Caio Vassão (especialista em Metadesign), Rodrigo Giaffredo (IBM), Daniel Furtado (UX Now), etc.

Impacto Social:

Inovação na Educação, Cidades Criativas, Gestão de Resíduos, entre outros.

Alguns palestrantes: Eduardo Valladares (Descomplica), Carla Link (Talking City), Paulo Tadeu Arantes (Cidade Criativa, Cidade Feliz), Marcelo Douek (Social Docs), Emerson Bento Pereira (Colégio Bandeirantes), Gustavo Borba (Unisinos), Felipe Viagi (Soul), etc.

Hack Town Startups e Negócios

Startup Growth

Exponencialidade, Inbound Marketing, Growth Hacking, Community Management, Design de Experiências, Métodos ágeis para criação de Marcas, Captação de Recursos, MPV, entre outros.

Alguns palestrantes: Raphael Lassance (Growth Team), Braulio Medina (Growth Team), Henrique von Atzingen (Thinklab IBM), Bernhard Schultze (SEO Marketing), Verena Pessim (Jam), Bruno Bonini (Jam), Marcela Huerta (MCM Corporate), Fernando Americano (Le Wagon), Alessandro Ng (ServiceDesignSprints.com), Franco Serrano (SIMI), etc.

Workplace

Design de Cultura Organizacional, Novas Lógicas de Organização, Ambientes Criativos, Comunicação Interna, Gamificação, entre outros.

Alguns palestrantes: Rodrigo Bastos (Target Teal), Thaysa Azevedo (Dervish / NaSala) Marco Antonio Barón (Target Teal), Marcelo Rouco (DÁLE ideiaz), Roberto Schmidt (Moove / Clube de Criação do RS), Ronaldo Gazel (Animatto), etc.

Carreira e Auto-Desenvolvimento:

Escutatória, Mindfulness, Metáforas no Processo de Criação e Evolução, Construção de Redes, entre outros.

Alguns palestrantes: Luciano Freitas (Uber), Cinthia Costa (AtentaMente), Thomas Brieu (DO IT Brasil), Eduardo Luís de Almeida (Inatel), etc.

Empreendedorismo:

Ecossistemas, Empreendedorismo Científico, Aceleração e Incubação, Início e Fim de Projetos, Educação Empreendedora, Comportamento Empreendedor, entre outros.

Alguns palestrantes: Nathália Tavares (Tropos Lab), Marina Mendonça (Tropos Lab) José Tomé (AgTech Valley / AgTech Garage.), Claudio de Castro (One Cloud), Marina Miranda (Crowd Envisioning / Mutopo Brasil / Rethink Business), etc.

Hack Town Cultura e Entretenimento

Mercado Musical:

Selos Independentes, Produção Musical, Promoção de Música em Rádios e Blogs no Exterior, Tendências de Consumo de Música, Capacitação Artista-Empresa, Marketing Digital para Bandas, entre outros.

Alguns palestrantes: Fernando Dotta (Balaclava Records), Julio Mossil (Produtor do rapper Rashid / Foco Na Missão Produções), Pena Schmidt (Produtor), David Mcloughlin (Brasil Calling), Dilson Laguna (Flow Creative Core / Sofar Sounds), JP Bueno (Casa da Mia Discos), Bernardo Ruas (Palco MP3), Ygor Aléxis (Rockambole), entre outros.

Cultura Pop:

Star Wars, Café, Games, Universo Nerd, Kustom Kulture, entre outros.

Alguns palestrantes: Vinícius Neves Mariano(autor da primeira série original do Warner Channel Brasil, Manual para se defender de aliens, ninjas e zumbis), Marcelo Forchin (Presidente do Conselho Jedi São Paulo), Igor Oliveira (Curador cultural especializado no segmento nerd), Alvaro Gabriele Rodrigues (Trixter Interactive), Eric Martins (Escuderia BadBug), etc.

Produção Cultural:

Criação e Experiências, Entretenimento, Criação de Eventos Criativos, Cultura Fora dos Dispositivos Legais, entre outros.

Alguns palestrantes: Mauricio Soares (plusnetwork / Tomorrowland Brasil), Humberto Cardoso Filho (Co.mov / TEDxBlumenau), Maria Luísa Lange (TEDxBlumenau), Mariana Sayad (Observatório Luneta), Júlia Lopes (Cultura Não é Perfumaria), etc.

Quanto custa participar do Hack Town 2017?

Enquanto os eventos que entregam esse tipo de conteúdo geralmente têm o preço por pessoa na casa dos milhares de reais, no Hack Town é diferente. O preço é democrático.

O ingresso que dá direito a todas as atividades oficiais sai por apenas R$150,00 no lote 2, em vigor. As entradas podem ser adquiridas pelo cartão de crédito, a vista em ou em 3 vezes, na plataforma Let’s.events, no link https://lets.events/hacktown.

Vale a pena correr para garantir o seu antes que acabe (são extremamente limitados).

Onde se hospedar?

Em eventos como o Hack Town, Flip (Paraty) e até mesmo o SXSW, achar opções legais e em conta de hospedagem é algo que toma tempo. Além de tudo lotar muito rápido.

Mas não se preocupe, neste link tem 5 dicas para você se despreocupar e garantir já o seu lugar. É só clicar aqui.

É importante ficar claro que a melhor experiência em Santa Rita, seja para eventos ou turismo, é próximo à natureza, nos sítios. É uma opção legal para grupos, assim como as casas mobiliadas, bem fáceis de achar.

Para menos gente, o melhor são os quartos, sejam em casas ou pensões. No link tem tudo.

Oportunidades assim não faltam na cidade. Tudo muito próximo do evento. No caso das casas e quartos, dá pra ir a pé. No caso de sítios, são poucos minutos de carro em estradas em bom estado.

O preço também ajuda: além do conforto e da possibilidade de fazer churrasco, de trabalhar, e se conectar com outros participantes, sai muito mais em conta do que nos hotéis de cidades vizinhas (outra opção).

Como chegar?

Como mencionamos antes, Santa Rita tem uma localização bem interessante (cerca de 220 km de São Paulo, 400 km do Rio de Janeiro e 430 km de Belo Horizonte). Dá pra vir de carro ou de ônibus se estiver nessas regiões. No caso de distâncias maiores, vale pegar um voo até a capital paulista.

Para mais detalhes sobre estradas, rotas e empresas de ônibus, vale consultor este link http://hacktown.com.br/como-chegar/

Os ingressos para a edição 2017 do Hack Town já estão a venda pelo site oficial: www.hacktown.com.br